segunda-feira, 2 de maio de 2011

Bollywood pra Iniciantes - Lição 3

.


Vamos hoje com a terceira lição do Bollywood pra Iniciantes, essa prática série criada pela Filmigirl e que eu trago aqui traduzido a vocês!

Personagens arquetípicos de Bollywood: O Herói

De longe a figura mais importante do cinema indiano é o herói. Basicamente, o herói é o personagem principal de qualquer filme, mas, mais importante, ele é o espelho do público. Os fãs de Bollywood não perguntam qual é seu gênero favorito, mas sim de qual herói você mais gosta, e isso dirá muito sobre sua identidade sobre o cinema.

O herói leva a audiência a uma viagem da infância à maturidade, da ordem ao caos. Isso significa que ele é sempre jovem - embora os atores que interpretam os heróis não sejam jovens, eles protagonizam a quintessência do fenômeno de Bollywood em que atores acima de 40 anos façam ingênuos estudantes universitários.

Os fãs não ligam se esses atores façam personagens velhos que ainda vivam em casa com os pais, ou se são vinte anos mais velhos que suas pretendentes (na verdade nos acostumamos com isso). A 'jornada do herói' dos filmes indianos pode ser a correção de erros do passado, ajustes de erros do presente, aniquilação de maldades ou apenas o caminho pro amor romântico perfeito.

Ele sempre conseguirá ficar com a mulher e irá sempre triunfar sobre os obstáculos, ainda que o triunfo seja apenas moral. O mais importante disso é que o herói aprenderá qual é seu lugar na comunidade e como ser produtivo pro mundo. Ele é como Luke Skywalker e Han Solo combinados em um homem incrível. Isso tudo parece uma super fórmula, o que na real é, mesmo, mas na prática há centenas de tipos de heróis - assim como haverá uma dezena de atores pra fazê-los.


Outra coisa interessante é o fato de os atores serem chamados de heróis pela imprensa mesmo em sua vida pessoal. Ou seja, eles são tão importantes pra sociedade, que deixam de ser "meros" atores pra encarnar um herói pra sociedade, que, por sua vez, interpretam heróis nas telonas. 

Bollywood desenvolveu um amplo vocabulário pra tratar de seus heróis. O herói ideal é o herói masala, ou seja, que deve ser bom em tudo, de lutas a romances, de patriotismos a cenas de dança. Mas ainda assim, como pessoas comuns, os heróis também têm suas especialidades. 

Um ator jovem, com cara novinha e especializado em papéis românticos é chamado de herói chocolate (ou, às vezes, de garoto chocolate). O termo vem da época em que caixas de chocolate traziam fotos de garotos bonitinhos na capa. Mas esse termo também não é assim tão positivo. Um herói chocolate pode ser popular com as mulheres, mas por não saber fazer muito mais que romances e por ser somente um rosto bonitinho, seus filmes não farão um sucesso tão grande.

Outros heróis são os heróis de hoje e sempre [nota CI: evergreen, no termo original] - referindo-se aos heróis nos seus 40 ou 50 anos. O mais famoso herói de hoje e sempre do cinema indiano foi Dev Anand, até hoje chamado por muitos de Evergreen Dev Anand. 

Há ainda o Jovem Homem Bravo, frase originalmente dada a Amitabh Bachchan que, nos anos 70, fez uma série de filmes nos quais ele interpretava homens jovens e muito bravos, buscando a justiça contra chefões e governos. Também existem os heróis cult, obviamente típicos de filmes cult, ou cabeça, ou de arte, e ainda os heróis trágicos, ou seja, especializados em filmes tensos.


Mas não pensem que seja simples aparecer um novo herói, a verdade é que um novo herói deve ser lançado - não como um foguete, mas como uma marca - e rios de dinheiro são despendidos em sua promoção. Quanto mais sucesso um novo herói faz em seu lançamento, mais rápida será a formação de seu séquito de fãs e maior será o retorno financeiro a seus lançadores. E, ainda, dependendo de quão poderoso for o pai de um ator, se seu lançamento fracassa uma vez, ele será relançado uma segunda vez com uma nova identidade.


Um bom exemplo de relançamento (e re-relançamento) é o de Harman Baweja. Harman é filho do produtor de Bollywood Harry Baweja e, em 2008, Harman foi lançado no filme Love Story 2050, um filme exagerado de ficção científica e orçamento caro. O filme foi construído pra lançar Harman como um herói masala e, graças ao dinheiro e contatos do pai, ele foi anunciado como o próximo rostinho de Bollywood, inclusive já direto assinando novos contratos antes mesmo da estreia do filme.


No entanto, infelizmente pros Bawejas, o filme foi um fracasso e silenciosamente Harman foi excluído de vários dos projetos que ele já tinha assinado. Um ano depois, Harman reapareceu chamando Hurman (por razões numerológicas), e depois de volta como Harman, quando Hurman também provou não funcionar, e estrelou em What's Your Rashee. Infelizmente, de novo, seu relançamento como herói chocolate também falhou, mas agora uma nova chance será dada a ele em It's My Life.


Atores sem contatos (ou poucos, que seja) podem chegar ao nível de heróis secundários, ou às vezes como "protagonista secundário" (ou seja, ele não é o protagonista, mas também não admite ser coadjuvante). Algumas vezes, um herói secundário aparece pra dar o tom cômico à trama, ou mesmo pra dar mais ação, pra ser um rostinho bonitinho, ou até pra dar mais emoção e morrer na hora correta. Mas ser um herói secundário não é de todo mal, ainda que alguns estrelinhas rejeitem o título ou outros acabam conquistando o posto de herói 'primário' graças aos seus carismas.


Finalmente, filmes com dois heróis são chamados - sim - de filmes com dois heróis. Um a mais e o filme será um multiestrelado.


Os anos 70 foram anos de ouro dos filmes com dois heróis e multiestrelados. Um dos mais amados dos indianos é Amar Akbar Anthony, estrelando três dos maiores heróis do momento - Amitabh Bachchan, Rishi Kapoor e Vinod Khanna - como irmãos que são separados quando crianças e, durante o filme, encontram namoradas, reencontram-se, salvam os pais e acabam com as pessoas maldosas.


Ufa! Na próxima sessão vamos falar das companheiras dos heróis... as heroínas!
.

7 comentários:

Isa disse...

Meu herói preferido é o... sei lá qual é. É o Shahrukh Khan e acabou-se.

Tradução linda a sua, Ibs *-*

E desejo sorte pro Harman. Ele é o Hrithik Roshan melhorado (tirando o fato de não saber dançar direito nem ser "gostoso", pro não-delírio da moçada). Eu gosto dele. :)

Ibirá Machado disse...

Obrigado, Isa! (ainda que, na real, eu sempre me dou ao luxo de fazer traduções livres, senão não rola!)

Também desejo sorte ao Harman. Não sendo um Salman como ser humano, tá ótimo!

Flor Baez disse...

Hahahahaha!
Muito bom! Adorei o texto!

Cláudia disse...

Muito legal o artigo!!!
Mas, fiquei curiosa para saber o nome dos atores nas fotos (o primeiro, em especial KKKK).

Ibirá Machado disse...

Oi, Cláudia, obrigado!

Vamos aos nomes, em ordem, começando com o que abre o artigo: Salman Khan, Shahrukh Khan, amitabh Bachchan, Shahid Kapoor, Harry Baweja e na foto tripla estão Amitabh Bachchan, Rishi Kapoor e Vinod Khanna. :)

Carol disse...

Fiquei me perguntando em qual categoria o SRK se enquadraria...o chocolate é Shahid demais para ele! Quando falam do SRK, às vezes dizem que ele é larger than life...acho que pouca coisa consegue explicá-lo tão bem.

Adoro os heróis masala porque masala é uma das melhores coisas já criadas...até o Salman Khan me faz feliz quando traz masala. Agora, esses multiestrelados são uma beleza...é tanta gente incrível que nem sabemos para onde olhar! Pena que hoje em dia os atores mais importantes são mais competitivos e não se unem para fazer algo. Imaginem um filme estrelado por SRK, Salman e Aamir? Tenso. Nem consigo pensar num SRK + Shahid que seja, já que homens bonitos não querem a competição por perto. Nem esses com dois heróis estão mais rolando tanto, só lembrei de Sholay agora. A última coisa parecida com esta de que me lembro é Dostana.

Essa foto final do Amar Akbar Anthony é uma das minhas favoritas no cinema indiano. Este filme faz o meu coração ficar feliz, meu sorriso surgir e meus olhos brilharem eteeeernamente. Ó céus, como Rishi Kapoor e Vinod Khanna eram lindos! Bem, o Rishi ainda é.

Cinema indiano é tão lindo :)

Continue a série, continue.

Ibirá Machado disse...

Carola, seu comentário me dá saudade de postar com muita mais frequência só pra ter mais comentários seus :D

I'll keep doing a série, prometo.