domingo, 5 de julho de 2009

Ram Gopal Varma odeia Michael Jackson

-
O outro texto que eu havia citado ontem segue então hoje, a respeito de Michael Jackson, segundo o diretor Ram Gopal Varma. Existe uma semelhança grande com o que diz Ram Gopal nesse texto e com o que disse Amitabh Bachchan, embora o de Big B seja um tanto exagerado, autobiográfico até. Eu não sou da época de Michael Jackson e já cresci num mundo em que o que ele havia criado já fazia parte das coisas comuns; e nunca fui seu fã e nem gostava de suas músicas. Hoje, porém, tenho que confessar que reconheço a sua importância, maior do que supunha. Não chego, no entanto, no nível bem bizarro de dizer que ele era de outro planeta - acho que sou mais dizer que ele foi abduzido e por isso mudou tanto.

Mas isso não vem ao caso. O que importa aqui é que - a despeito da lambeção de ovos - mais esse artigo confirma a presença praticamente fundamental de Michael Jackson no caminho que Bollywood, e todo o cinema indiano, trilhou nos finais do século XX. No dia 30 de junho também falamos sobre isso, se ainda não leu, leia clicando aqui. E agora fiquem com o texto de Ram Gopal Varma:

Eu odeio o Michael Jackson

Eu fui dormir tarde e esqueci de desligar a TV. Assim que acordei meus olhos foram direto pra linha que passava com a manchete "Michael Jackson está morto". Eu pensei que eu pudesse estar sonhando e comecei a pensar por que diabos eu estava sonhando que Michael Jackson estava morto. Levou um tempo até que eu percebesse que aquilo era realmente real e não um sonho.

De volta aos tempos em que eu estava na faculdade em Vijayawada, um amigo meu me chamou pra assistir o vídeo de Thriller, de Michael Jackson. Acostumado com uma dieta de músicas telugu e hindi, eu estava perplexo ao ver aqueles inimagináveis tipos de coreografias, imagens e, acima de tudo, a incrível personalidade de Michael Jackson. Eu saí do salão pensando que ele não poderia ser real e que deveria ser algum tipo de fantasia com forma humana. Ao longo dos anos eu via cada um de seus vídeos, cada qual criando um novo estilo. Na indústria de filmes, sempre que eu e meus colegas discutimos a elaboração de uma nova música, nós invariavelmente usávamos e usamos até hoje a inspiração que temos em Michael Jackson, copiando seus vídeos.

Não eram apenas suas danças ou seus estilos de cantar ou mesmo sua música, mas sim sua incrível presença e sua aura em torno de si que me arrebatou. Eu vi seu show em Mumbai. No palco, Michael Jackson parecia algum ser que havia vindo de outro planeta com a missão de nos entreter um pouco. Eu nunca me importei com os escândalos a respeito dele, já que o que ele fez por mim e por meus sentidos supera tudo e qualquer coisa que ele tenha feito e, como eu disse, pra mim ele era como uma criação de Deus ou alguma coisa dada como um presente muito muito especial à humanidade.

Eu odeio Michael Jackson.

Eu o odeio por ter morrido e por ter feito eu perceber que ele é mesmo um ser humano.

Eu odeio que ele também tenha que respirar pra viver.

Eu odeio que ele também tenha um coração que pode parar como o de todos nós.

Eu odeio ter que viver pra ler na CNN dizendo que "O corpo de Michael Jackson foi mandado para o Instituto Médico Legal" .

Eu realmente odeio Michael Jackson por tornar-se uma desagradável realidade de uma fantástica fantasia.

Eu te amo Michael Jackson, esteja onde estiver... e sempre te amarei.

Ram Gopal Varma

7 comentários:

Iseedeadpeople disse...

Eu já ia xingar esse indiano!!!!

MJ revolucionou a música. Só quem passou dos 30 sentiu de perto sua importância !!!

Profª Sandra disse...

Hahahahahaha estou me rolando de rir ate agora, esta dele ter sido ABDUZIDO eh boa demais!!!!!!!!!!!!!
So vc mesmo pra me fazer comecar o dia bem e rindo sem parar :)

Descoberto o segredo de Michael Jackson, ele foi ABDUZIDOOOOOOOOOO
:)

Lígia disse...

"Não chego, no entanto, no nível bem bizarro de dizer que ele era de outro planeta..." HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH justo você! HAHAHAHAH
Bom, mas deixa pra la a piada interna....
Eu também não imaginava que o Michael tivesse tanta importância assim, e jamais mesmo pensaria que a Índia também tinha tanta influência.
Bacana é que ficou chique agora meus padrinhos dançarem thriller no casamento, não é, Ibirá? :P

Ibirá Machado disse...

Sheila 6th Sense, pois é, acho que é esse o problema! To longe dos 30! rsrs...

Sandra, e não duvide disso! Ele só voltou agora pra nave mãe ;)

Ibirá Machado disse...

Lígia, é nóis! Preciso começar a ensaiar... ai meu Deus... :-o

disse...

Eu já ia esculachar esses indianos...mas......lindo tudo isso que ele escreveu....o mais importante na história da vida de Michael é reconhecer que ele foi e sempre será " O CARA "....não temos que dar importância as coisas ruins que a imprensa nos trouxe...até porque nunca foi definitivamente provado nada contra ele...tudo eram suposições e pessoas querendo ficar rica nas custas do trabalho dele....um bando de carniceiros (URUBUS)...Os nos noticiarios nos deparamos com a primeira criança de processou Michael a 13 anos atrás, dizendo que tudo foi armação do Pai dele...ficar milionário assim é mole....quero ver trabalhar, dá a cara pra bater principalmente na imprensa....
bjus....

Michael será sempre MIchael....digam o que disserem... ele é o cara,,,,

Carol disse...

Texto bem sensível e pessoal.Achei bonito,sabe?Há pessoas que mudam nossas vidas com sua arte,achamos que ela são eternas.Aí elas morrem,e não é justo com as boas memórias que temos.Não tivemos tempo de agradecer,deve ser péssimo.Vou sentir tudo isso quando o Paul Macca morrer.Ah,vou chorar rios!