quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Dunno Y, o beijo gay e a censura

-

Já não é de hoje que essa polêmica existe e que falamos dela por aqui. Para um país que descriminalizou a relação homossexual há pouco mais de um ano, não é difícil imaginar como essa questão é um tabu desmedido na Índia.

Bom, e faz um tempo havíamos falado do filme chamado I Am, composto por curtas que, dentre os quais, um abordaria um casal gay e teria cena de beijo, inclusive, com nada mais que Rahul Bose no papel principal. Dessa vez, porém, a polêmica é maior porque Dunno Y... Na Jaane Kyon (Não Sei Porque) é um filme inteiro sobre essa temática, abordando em alguns momentos cenas de muita intimidade entre dois homens - um casal homossexual.

Embora já pronto, já exibido em um festival na própria Índia (o Mumbai International Queer Film Festival) e também já inscrito em outros festivais pelo mundo, a censura do governo indiano está pedindo que tais cenas de muita intimidade sejam cortadas ou refeitas para que Dunno Y possa então entrar em cartaz no país. 

Isso não necessariamente estragaria o filme, se tivermos como base a sensibilidade que tem, por exemplo, My Brother... Nikhil (2005), cujo personagem principal, Nikhil, é gay e contrai o vírus HIV. Ao contrário de casos anteriores, Nikhil e seu parceiro, Nigel, não são estereotipados, mas também não há cena alguma de beijo ou outro tipo de intimidade maior. 

Mas o que Dunno Y revela, assim como outros casos recentes do cinema indiano, como LSD (2009), é que ainda há um caminho muito longo pra ser percorrido até que um cineasta indiano consiga a liberdade plena de realizar sua arte à vontade, sem interferências, dentro do próprio país.

De qualquer forma, é importante que fique claro que o órgão de certificação do cinema indiano (leia-se de censura), controlado pelo governo, não impõe suas ordens do nada e por manipulação de cima pra baixo. Isso é um reflexo puro da própria sociedade do país.

O maior exemplo que se pode observar, neste caso em específico, diz respeito ao próprio ator que fez um dos personagens do casal gay de Dunno Y. Yuvraj Parasher foi simplesmente deserdado da família, literalmente expulso do núcleo familiar, assim que maiores polêmicas surgiram pelo país inteiro ao ser anunciado o filme.

O outro ator, Kapil Sharma, não sofreu efeitos desse tipo porque, afinal, ele é também o autor do roteiro original, além de ser irmão do diretor, Sanjay Sharma. Yuvraj não teve a mesma sorte familiar, ainda que, ao que indiquem as coisas, ele seja hétero. Cinema, na Índia, pode ser coisa mais séria do que a gente pensa.

Mas as repercussões com esse filme não se resumem somente ao fato de ter um casal gay como personagens principais - e que ainda se beijam -, mas também por ter contado com uma estratégia quase imbatível de convencimento: o elenco do filme, com exceção dos próprios protagonistas, é composto por estrelas das mais brilhantes que o cinema indiano já teve em sua história. Atrizes como Zeenat Aman e Helen, por exemplo, que são unanimidade dentre os indianos por seus trabalhos no cinema em décadas passadas, estão presentes. O ator Kabir Bedi, também unânime, faz parte do elenco. Ou mesmo do presente, como Rituparna Sengupta, que é a mais famosa atriz bengalesa do momento, também aparece no filme. 

Enfim, mas ainda assim, a polêmica existe e é grande. Não sei por quê, I really dunno y.
-

18 comentários:

barbie-o disse...

Também não sei porquê.
Receio que os artistas do cinema indiano estejam a anos-luz da maioria da população.

Ibirá Machado disse...

Artistas, em geral, em qualquer lugar do planeta e do tempo, estão anos-luz da maioria da população...

Isa disse...

É, quem sabe esse seja um indicio de mudança na nossa querida Índia. Apesar do ator deserdado. Mas o fato é que, infelizmente, existem muitos srs. Totem Babakesh pela Índia e pelo mundo. Dunno Y.

Ibirá Machado disse...

We all dunno y...

Iseedeadpeople disse...

Que Deus ou Ganesha abra a cabeça dos indianos! Eles chegam ao cúmulo de negar que exista homofobia e usam "Dostana" como exemplo. Exemplo de que, se Dostana é apenas uma comédia sobre 2 amigos heteros que fingem ser gays? O que há de tão polêmico nisso?

Ridícula a atitude da família do ator. Devem ser simpatizantes do Ahmadinejad, aquele que disse que não há gays em seu país...

Ibirá Machado disse...

Foi o que disse no texto, isso é a sociedade indiana, que insiste em negar infinitos aspectos intrínsecos do dia a dia deles.

Viviane disse...

OLÁ IBIRÁ, VC AINDA NÃO FEZ COMENTÁRIOS SOBRE BUMM BUMM BOLE, A VERSÃO INDIANA DO IRANIANO FILHOS DO PARAISO...EU JA BAIXEI ESSE FIZ, MAS AINDA ESTOU TRADUZINDO A LEGENDA NOVAMENTE, POIS ESTÁ MEIO BAGUNÇADA.
SE QUISER TE ENVIOU QDO TERMINAR.
GRANDE BJU

Ibirá Machado disse...

Olá Viviane, muito obrigado por seu comentário! Não se preocupe em enviar a legenda pra mim, mas seria muito interessante se você pudesse colocar em algum site para em seguida divulgá-la na comunidade "Quero cinema indiano no Brasil", no Orkut. Lá é o melhor local pra isso.

Quanto ao meu post sobre Bumm Bumm Bole, o problema maior é a imensa quantidade de filmes vistos/por ver e o tempo pra escrever sobre cada um... mas vamos ver, qualquer hora sai!

Obrigado mais uma vez :)

Viviane disse...

Oi Ibirá, estava perguntando se vc tinha assistido ao filme , se não tivesse eu mandava o filme , não a legenda, acho q me expessei mal. Sorry!
Qdo a postar o filme em alguma comunidade ou site, eu não sei fazer isso!!!rsrs
tenho vc no meu orkut, vou te escrever, tenho algumas perguntinhas rsrs bjão

Lívia Bernardes disse...

Preconceito é uma triste mazela dos seres humanos e olha que esse filme tem uma ousadia que não ocorreu ainda na tv brasileira um beijo entre dois homens, porém deve ser bastante interessante ver como o homosexualismo é retratado em uma sociedade arraigada a tradições e costumes como a indiana é interessante ver fatos que são ocultados mostrados na arte cinematográfica

Anônimo disse...

É, no Mundo todo desde que o Mundo é mundo existe o Homossexualismo, pior nesses países que insistem em tampar o sol com a peneira ou fazerem coisas horrendas, mas um dia tudo isso vai ser normal.
Se impérios acabaram,e tudo mudou, um dia tudo isso ocorrerá normal sem ódios ou perseguições.

Anônimo disse...

Existe um príncipe que é Gay assumido lá, será que ele foi deserdado?Ele até esteve no Brasil.

Anônimo disse...

Queria é arrumar um Indiano, acho eles lindos de morrer, aqueles cabelos negros, pele cor de canela, uns mais brancos, tem cara de maduros,aquele rosto triangular se tiver barba então nossa, ai acho eles lindos.
Meu nome é Ricardo.
Será que lá tem site de relacionamentos??!!!

Ibirá Machado disse...

Ricardo, o principe gay é Manvendra Kumar Singh, oficial herdeiro do antigo principado de Rajpipla, hoje no Gujarat, oeste da Índia. Ele não foi deserdado porque, nesses casos, a herança monárquica fala mais alto.

Quanto ao site de relacionamentos, lá existe sim, é o naukri.com, muito famoso por lá, mas ele serve pra casamentos arranjados. Acho muito difícil que dois homens possam se encontrar por ele...

Lívia Bernardes disse...

Ibirá saiu umas reportagens curtas sobre o Anil Kapoor hoje no Brasil, ele será o vilão do filme missão impossível 4 do Tom Cruise, não sei se você viu?

http://cinema.cineclick.uol.com.br/noticia/carregar/titulo/ator-de-quem-quer-ser-um-milionario-sera-vilao-de-missao-impossivel/id/28224/

Lívia Bernardes disse...

Saiu uma reportagem sobre esse filme no portal Terra.

http://cinema.terra.com.br/interna/0,,OI4788976-EI1176,00-Bollywood+lanca+primeiro+filme+com+beijo+gay.html

Valter disse...

Procuro um namorado ativo indiano ou oriental, meu telefone é (21)96936-6564(whatsapp)...Aguardo contatos...

Junyor Hernande disse...

Bom, como em toda a sociedade, há esse tipo de TABU que ainda faz parte do nosso meio. Mas aqui trago uma ressalva, no Oriente, como um todo, ainda há essa forma de pressão imposta por meio das autoridades. Isso deve ao fato de boa parte dessas regiões serem frutos de um sistema que permeia essas sociedades a várias delas. São sociedades ainda "machistas" e tem a figura masculina como ponto central.
Mas isso está sendo contra-batido, devido a influências do próprio Ocidente.
É realmente triste saber da censura do filme, afinal de contas, Bollywood tem sua fama de maior produtora cinematográfica do mundo. Mas o governo indiano ainda tem sua influência de intervenção nas produções de novos filmes.
Espero que esse filme (a pesar de não tê-lo visto ainda) seja liberado da censura do governo do país.