quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Mahatma Gandhi - महात्मा गांधी

-

Hoje, 2 de outubro, é um dia muito especial: é o aniversário de nascimento de Mohandas Karamchand Gandhi, o Mahatma. E devo confessar que uma imensa parte do meu interesse por Índia está diretamente relacionado ao Gandhi e diretamente por causa dele que acabei indo a este país no primeiro semestre deste ano.

Hoje Mahatma Gandhi faria seus 139 anos de vida, mas desde seu assassinato passam meros 60 anos e alguns meses. De lá pra cá muita coisa aconteceu, muito se falou, e hoje uma grande parte da população indiana odeia o Mahatma - enquanto outra o idolatra. Os motivos não cabem aqui ser explicados, mas o que importa é o fato de Gandhi ter sido um grande ícone do século XX e - ouso dizer? - de toda a história da humanidade.

Mas como este blog pretende falar de cinema, vamos falar um pouquinho do que já se falou de Gandhi nas produções cinematográficas indianas. Na verdade, antes de falar da produção indiana em si, não posso deixar de citar o próprio filme Gandhi, de Richard Attenborough. Esta produção, de 1982, é uma obra prima de três horas de duração, estrelada pelo até hoje insubstituível Ben Kingsley no papel de Mahatma Gandhi. Por incrível que pareça, até hoje, nenhum ator conseguiu encarnar Gandhi com tanta fidelidade quanto Kingsley, que nem indiano é. Este filme, em 1983, foi indicado para 11 óscares, dos quais ganhou 8, incluindo de melhor filme e melhor ator. Vejam este trecho do filme:



Bom, agora voltando ao cinema indiano em si, existem diversos filmes que já abordaram seu tema de alguma maneira, destacando-se Lage Raho Munnabhai, Gandhi My Father e Maine Gandhi Ko Nahin Mara. Mas para que esta postagem não se estenda muito, deixarei para a próxima semana (que marca a 27ª Semana Gandhi aqui em São Paulo) as postagens respectivas para estes filmes. Até porque assim eles podem receber a dedicação exclusiva que merecem.

Om Shanti Om

Um comentário:

Profª Sandra Bose disse...

Todos os filmes mencionados nesta postagens sao bons e valem a pena serem assistidos.
Muito bem lembrado Ibira, excelente postagem!