sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Lage Raho Munna Bhai (2006) - लगे रहो मुन्नाभाई

-

Hoje, 2 de outubro de 2009, Mohandas Karamchand Gandhi, o Mahatma, faria seus 140 anos. Há apenas três feriados nacionais fixos na Índia, e hoje, não por menos, é um deles - o Gandhi Jayanti.

Poucos podem dizer sobre a real importância de Mahatma Gandhi na constituição da atual Índia, mas o que realmente importa para hoje é que Gandhi é amado por metade da Índia - a outra metade, porém, o odeia. Mesmo dentre os que o amam, no entanto, a ignorância em relação ao o que ele foi e representou é grande.

E eis que no ano de 2006, a continuação do filme Munna Bhai M.B.B.S (2003) resolveu trazer Gandhi ao tema central de seu roteiro, causando uma pequena revolução silenciosa na juventude indiana. Lage Raho Munna Bhai é uma típica comédia bollywoodiana, mas conseguiu tocar fundo nos indianos, de maneira talvez inesperada. E desde que fundei esse blog prometo falar desse filme e finalmente estou cumprindo!

O filme conta mais uma história do bizarro Murli Prasad Sharma, o Munna Bhai, interpretado por nada mais que Sanjay Dutt, que desta vez apaixona-se por Jhanvi (Vidya Balan), uma locutora de rádio de Mumbai. Todos os dias de manhã, era religioso para Munna Bhai escutar o "Gooooood mooooooorniiiiiiing, Mumbaaaiii" de Jhanvi; ele se derretia.

E então, na oportunidade do Gandhi Jayanti, ela lança um concurso de perguntas sobre o Mahatma e quem acertasse teria a oportunidade de conhecê-la. É a chance de ouro para Munna Bhai, mas... "... quem é Gandhi? Aquele cara que está em todas as notas de rúpia? Ah, ok." Essa observação feita é tipissíssima dentre os jovens indianos, que veem Gandhi em suas rúpias todos os dias, que todos os anos ficam felizes por mais um feriado nacional, mas nada sabem sobre aquele que outrora uniu o país e cuspiu fora os britânicos de lá.

Mas daí Munna Bhai e sua gangue (sim, porque como tanto gosta Bollywood, Munna Bhai pertence ao submundo de Mumbai) raptam alguns professores universitários para que eles ajudassem a responder às perguntas sobre Gandhi. O resultado é que Munna Bhai "acerta" todas as perguntas e então Jhanvi o convida para dar uma espécie de palestra sobre Gandhi a um grupo de idosos.

Munna Bhai se vê numa enrascada e percebe que a única solução será estudar profundamente sobre Gandhi - até porque ele não queria de modo algum desapontar sua amada! Ele então entra numa biblioteca especializada em Gandhi (abandonada às traças) e lá fica por três dias e três noites, sem comer e nem dormir. Num dado momento, eis que o espírito de Gandhi aparece para Munna Bhai, tentando convencê-lo de que o melhor seria contar a verdade a Jhanvi. Diz ainda que, quando necessário, bastaria cantar o Raghupati Raghava Raja Ram para chamá-lo (essa música ficou famosa nos tempos de Gandhi, pois era um dos seus hinos devocionais preferidos).

Munna Bhai não consegue contar a verdade, mas mesmo assim Gandhi vai ajudando-lhe a dizer sobre ele próprio, o que acaba por conquistar o coração de Jhanvi, que acredita que Munna Bhai é realmente um profundo conhecedor do Mahatma. Assim, ela o convida para participar com ela de um novo programa na rádio, que seria ajudar as pessoas a sair de seus problemas a partir do pensamento gandhiano. Essa parte é o coração do filme. Tão logo ambos iniciam o programa e Mumbai inteira para todos os dias para escutá-los, ansiosos para ver e emocionarem-se com cada caso solucionado (e Gandhi dizendo tudo o que fazer por trás dos ombros de Munna Bhai).

Mas nem tudo são flores. Enquanto tudo isso acontece, porém, Lucky Singh (Boman Irani), um inescrupuloso empresário, quer casar sua filha com o filho (Abhishek Bachchan, totalmente secundário, ou melhor, terciário, no filme) de outro empresário, Kkhurana. O astrólogo de Kkhurana diz que seria muito auspicioso se a casa em que eles morassem fosse a Second Innings House. Acontece que tal casa é justamente onde mora Jhanvi. Para despistar Jhanvi e Munna Bhai, Lucky manda ambos para Goa, junto dos velhinhos, enquanto a própria gangue de Munna Bhai esvazia a casa de Jhanvi.

A partir daí a história entra pra parte mais crítica e também mais emocionante. E não vou contar!

O filme foi um super sucesso em 2006, ficando apenas atrás de Dhoom 2 em arrecadação no ano. Na lista dos fillmes que mais arrecadaram na história de Bollywood, Lage Raho Munna Bhai está em sexto lugar.

Como eu disse no início, esse filme é um dos poucos que mudam o rumo social da Índia. Curiosamente, no mesmo ano estava no cinema o filme Rang De Basanti, que também teve um impacto social profundo no país. Os dois, juntos, levantaram a juventude indiana e fizeram-na acordar para as injustiças e para as possibilidades de transformações socioeconômicas e políticas. Rang De Basanti teve o impacto de trazer os jovens para o centro da "revolução", enquanto que Lage Raho Munna Bhai trouxe a eles os valores gandhianos da não-violência e da desobediência civil. Os anos se passaram e muito já ficou pra trás, mas ainda hoje existem manifestações organizadas pela juventude indiana, fruto do que provocou ambos os filmes na alma deles.

Vale muito a pena assistir. A despeito dos comportamentos escusos de Sanjay Dutt, sua atuação nesse filme é indubitavelmente ótima e convincente. Não dá pra negar o valor que seu papel teve para a Índia - e isso devemos venerar. E também a atuação de Arshad Warsi, como Circuit, o fiel escudeiro de Munna Bhai, é imprescindível, tendo ele levado o prêmio de melhor ator coadjuvante num papel cômico, pelo Filmfare Awards. Além deste prêmio, o Lage Raho Munna Bhai levou o prêmio de melhor filme pela crítica e de melhor roteiro. No National Film Awards, levou o estranho Best Popular Film Providing Wholesome Entertainment, além dos prêmios de melhores letras de música, melhor roteiro e melhor ator coadjuvante para Dilip Prabhavalkar, que fez o Gandhi no filme.

Ah sim, e a trilha sonora do filme (a cargo de Shantanu Moitra) é bem divertidinha, com alguns song-and-dances também divertidos. A direção dessa obra é de Rajkumar Hirani, com produção de Vidhu Vinod Chopra.

Não achei nenhum trailer decente do filme, mas decidi colocar o clipe da música-título, que embora não seja um resumo do filme, é bem engraçadinha. E não deixem de ver!



20 comentários:

Pedro disse...

Viva Gandhi!Esse filme deve ser interessante.Eu votei contra a mudança mas gostei da nova proposta.

Ibirá Machado disse...

Esse filme é um típico "MUST SEE!!!".

Pois é, eu coloquei a proposta lá pq em princípio eu mesmo era contra a mudança, mas depois de experimentar vi que poderia ficar super interessante! :)E agora acho que devo mudar... haha

Profª Sandra disse...

Dia 1 de outubro eu estava no Gandhi Smiriti e fui entrevistada por uma reportaer da CNB TV Station.
Ela me perguntou o que eu sabia sobre Gandhi e o que eu achava de sua filosofia.
No final da entrevista ela me perguntou se eu seguia the Gandhi way of life e eh claro que eu respondi um sonoro NAO hehehehehe :)

Monique Rosa disse...

Poxa me ensina baixar os filmes pelo Torrent, Ibirá.
Eu queria ver esse.
Poxa hoje mesmo estava pensando em escrever no meu blog sobre o efeito que o filme Ghandi teve sobre mim em contrapartida com a ideologia utópica e violenta de Rang De Basanti.

Ibirá Machado disse...

Hahaha... mas também, quem é que consegue realmente ser um gandhigiri?... :-/

Ibirá Machado disse...

Monique, o filme Gandhi, com Ben Kinsgley? Esse filme foi O GRANDE RESPONSÁVEL por mudar o rumo da minha vida.

A verdade da coisa é que esse blog existe graças a esse filme. Porque graças a esse filme quis saber mais, muito mais sobre Gandhi, e graças a isso fiz amigos indianos, e graças a isso fui à Índia, e graças a isso conheci mais a fundo o cinema indiano, e graças a isso criei esse blog. E graças a você ele existe firme e forte! :)

Jay Gandhi. E sem brincadeira, quem estava por perto de mim quando dessa mudança, conheceu e vivenciou a verdadeira transformação e construção de um novo rumo efetivamente determinado. :)

bjs

Monique Rosa disse...

Eita... tem um graças a mim no meio, rs
*Só pra mim! ô ô ô ferro!*

Ibirá,é esse filme mesmo. Agora você me animou. Vou escribir o artigo lá no blog e depois quero que leia.
Mas comofaz pra torrentar, hein?
rs

Ibirá Machado disse...

Monique, não querendo estragar a empolgação - mas já estragando -, mas esse meu "graças a você" foi, na verdade, genérico, distribuídos a todos os queridos leitores que leem esse blog e dão a ele a razão de sua existência. Ih, fui direto e fiquei com dó agora; revertendo o processo: Monique, querida, esse blog existe graças a você! ;)

E sobre torrentar, você já leu a postagem sobre como fazer downloads de filmes? Há um link pra postagem na barra da esquerda. De qualquer modo, basta instalar um programa de torrent no seu computador, como o uTorrent, por exemplo, e daí procurar o torrent em si na internet, como no site mininova.com, por exemplo. Encontrando o arquivo, escolha o que tiver o maior número de seeders e leechers, pois o download será mais rápido. Daí basta deixar o programa aberto fazendo o download. Não é necessário deixar ligado até que o download complete, pois isso pode demorar. Então toda vez que ligar o computador, ligue também o programa de torrent, até que se complete o download.

Entendeu?... :p

Monique Rosa disse...

Eu estava sendo irônica. ahahahhaha
Entendi Ibirá.Obrigada! Vou fazer isso hoje.

Ibirá Machado disse...

Eu sei, né! Mas vai que algum leitor querido e ciumento não entendia a ironia?... rsrs

Carol disse...

Eu votei contra a mudança mas gostei da nova proposta.[2]

Fiquei com muita vontade de assistir ao filme,já me animei pelo fato de a Vidya estar no elenco.Gosto do jeito tranqüilo dela.

Depois de ler os comentários fiquei querendo ver o Gandhi também.Imagina se minha vida também muda?

Acabei de perceber que opiniões me influenciam com uma velocidade fantástica,porque hoje vi Omkara e só Deus sabe porque isso me fez ficar o dia todo querendo ver Rang De Basanti,mas tenho certeza de que o comentário da Monique vai ficar ecoando em minha mente em cada segundo de filme...certeza! ;/

Ibirá Machado disse...

A Vidya é linda :)

Sim, sim! Assista ao filme Gandhi!!!

E siiiiiim, assista a Rang De Basanti! É um dos melhores must see da Índia!!! Sério mesmo, eu achei oo filme fantasticamente bom.

Monique disse...

Eu aprendi, torrentar.Aprendi!Eba!
Obrigada monsieur arbre!Merci!

Ibirá Machado disse...

Je vous en prie, mademoiselle Monicá!

Monique disse...

Carol, Rang De basanti tem uma história muito envolvente,principalmente para jovens que precisam acordar para a situação política que os cerca.Se agente leva isso para o contexto indiano aí é que faz sentido mesmo.
É tão bom que eu, na ocasião em que ganhei o DVD, coloquei o DVD 18:30 e saí da sala 1h da manhã hahaha... Mas calma eu tive que assisti e ainda fazer tradução simultânea pra mamys pq não tinha legenda em português...Mas depois que passa a empolgação e o senso criítico se apura você vai percebendo qual é a mensagem por trás da mensagem... ( não estou falando de fantasmaaaas)... enfim, é isso. *Ah! fui expulsa de uma comunidade no orkut porque questionei se Rang De Basanti era relamente um filme que naturalmente gerou um incomodo social ou se era manobra de mídia para ganhar umas rupiazinhas dos jovens cansados das injustiças no país deles.Mandaram eu vazar canhão e me deram um pedala robinho nas orelhas.

Ibirá Machado disse...

HAHAHAHAHAHAHAHA!!! Vazar canhão é novíssima pra mim!

Monique disse...

HA HA É uma música baiana.
"Vaza canhão, vaza canhão!" Que bom que nunca ouviu!

Monique disse...

Ah! Terminei o post sobre Rang De Basanti e Gandhi.
Passa lá quando tiver tempo.

Ibirá Machado disse...

Ah, bem, de música bahiana confesso que bem recentemente me deu a louca e comecei a ouvir um pouco de Ivete :$

Eu vou ler sua postagem hoje à noite, ok? Ahora voy a salir de mi casita ;)

Monique disse...

Infelizmente ainda é impossível não ouvir axé na Bahia.
Te aguardo.