sábado, 5 de março de 2011

Bollywood pra Iniciantes - Lição 1

-
Queridos, na minha última postagem eu havia sugerido que enquanto eu não retomasse minhas postagens mais regulares e/ou mantivesse esse ritmo desritmado vocês lessem os outros excelentes blogs que também falam sobre cinema indiano em português.

Porém, não que eu tenha esquecido de dizer, mas também existem outros blogs que são deveras lindos, embora estejam em inglês - e este foi o motivo de não ter sugerido antes. E por isso, como sempre em tempo, aconselho que vocês procurem na coluna ao lado, chamada "Nossos amigos", os links pra todos esses blogs em português e em inglês que falam sobre cinema indiano.

Mas hoje, nesta postagem, darei atenção mais que especial a um desses blogs escritos em inglês, o querido Filmi Girl. Recentemente, a autora do blog iniciou uma sessão chamada "Bollywood for beginners" (Bollywood pra iniciantes), com várias postagens explicando, passo a passo - ou lição por lição -, as grandes, inúmeras e coloridas variáveis que envolvem o mundo do cinema indiano. São guias absolutamente lindos pra iniciantes neste mundo, e que, sob permissões, passarei agora a oferecer a vocês em português!

Então vamos à primeira lição:

O que é Bollywood?

É muito comum que Bollywood seja usado como um termo genérico pra todos os filmes indianos, assim como costumamos chamar de Hollywood todos os filmes feitos nos Estados Unidos e Inglaterra - e assim ignorando as diferenças entre cada região; comerciais e de arte; de dentro da indústria ou independentes. Muitos dos fãs de filmes ocidentais negam-se a colocar Woody Allen, Micheal Bay e Jean Luc Godard dentro da mesma categoria "Hollywood", e, da mesma maneira, os fãs de cinema indiano recusam-se a chamar de Bollywood tudo o que for de cinema indiano.

A Índia tem várias indústrias de filmes populares - uma pra cada língua regional - mas Bollywood, especificamente, refere-se à indústria de filmes em língua hindi baseados em Mumbai. O termo surgiu na década de 70 com uma mistura do nome Bombay (antiga Mumbai) com Hollywood.

Mas apesar do nome, Bollywood desenvolveu-se paralelamente e quase isolado de Hollywood. Alguns curtas foram feitos na Índia nos finais do século XIX, sendo o primeiro longa tendo sido feito em 1913 (Raja Harishchandra) e o primeiro falado em 1931 (Alam Ara). Inicialmente, havia um punhado de cidades importantes produzindo filmes ao redor da Índia, mas lentamente Mumbai foi se tornando destino de talentosos diretores, escritores, atores etc de toda a Índia - o que se intensificou após a Independência, em 1947, quando muitos preferiram ficar na Índia ao invés do Paquistão. Um dos exemplos mais importantes são os Kapoors, a mais famosa família de Bollywood, feita de quatro gerações e reis das bilheterias. Eles são originalmente da região do Punjab que pertencia ao Paquistão.

Mas além de Bollywood ter sido um centro de talentos, há outro importante fator que separa Bollywood do resto das outras indústrias regionais de cinema indianas: a língua hindi, que é a língua da capital indiana, Nova Délhi. Após a Indendência, houve um movimento pra tornar o hindi a língua nacional e os filmes falados nessa língua tornaram-se a indústria nacional, apesar de haver um imenso número de pessoas que não falam o hindi. O papel do hindi da Índia ainda é muito controverso e existem extensas partes do país em que Bollywood não é assistido. Ainda assim, Bollywood continua sendo considerado representante do cinema indiano e onde há a diáspora indiana é Bollywood que é distribuído, assim como nos países em que filmes indianos têm mercado, a saber: África, Ásia Central, Oriente Médio e Europa Oriental (incluindo Rússia).

Então, resumindo, está correto chamar o indicado ao Oscar Lagaan um filme bollywoodiano, já que ele foi feito pela indústria hindi, mas não é correto chamar Quem Quer Ser um Milionário? um filme bollywoodiano. Quem Quer Ser um Milionário? baseou-se na índia, mas foi feito por ocidentais para um público ocidental. Da mesma forma, é correto chamar Anil Kapoor, que atua em Quem Quer Ser um Milionário?, um ator bollywoodiano, já que ele estrelou em inúmeros filmes de Bollywood, mas não é correto chamar Dev Patel, protagonista do filme, um ator bollywoodiano. Ele é descendente de indianos, mas nunca havia atuado em filmes falados em hindi. Herança indiana sozinha não faz dele parte de Bollywood.

A palavra Bollywood pode ser ofensiva quando usada indiscriminadamente, como na música "Carmensita", de Devendra Barnhart, em que Natalie Portman faz a princesinha bollywoodiana e que Bollywood é representado como algo super exótico. Por causa da associação da palavra Bollywood com imagens de atrizes brancas como Natalie Portman dançando com cobras sedutoras, há um movimento dentro de Bollywood querendo renomeá-lo para HiFi - sigla pra Hindi Film Industry (Indústria de Filmes Hindi) - o que separaria os filmes hindi completamente dessas conotações negativas. No entanto, apesar disso tudo, o importante é que Bollywood vem se tornando internacionalmente reconhecido e, se nada for feito pra educar as pessoas que não conhecem esse cinema, então Bollywood será sempre representado com imagens de uma Índia exótica e seus verdadeiros tesouros serão sempre desconhecidos dos críticos ocidentais, que seguirão chamando os filmes bollywoodianos de cópias bobas.

*O artigo original, em inglês, pode ser conferido no Filmi Girl, aqui*
-

11 comentários:

Carol disse...

Filmi girl, filmi girl, há há há!

A série que ela escreveu é linda, informativa e especial. Continue arrasando e se unindo com essa gente fofa!

E repito: essa coisa de HiFi é pura frescura.

Vinicius disse...

Adorei!

Eu já sabia de muita coisa escrita no texto, mas tenho muito o que aprender ainda sobre Bollywood e as outras Indústrias de cinema da Índia!

Já vi comentários em vários lugares na net de pessoas falando mau de Bolly e zuando esse nome Bollywood!

Abraços Ibirá!

Ibirá Machado disse...

Carol, sempre!

Vini, saudades! Abração.

Pequena Kah disse...

Olá!
Adorei o post. Eu conheço o cinema indiano desde 2009, já não me considero mais tão iniciante, mas ainda tem muita coisa que eu preciso aprender. Achei o post muito claro, obrigada por tê-lo traduzido.

Abraços!

Ibirá Machado disse...

De nada! :)

Mas de fato, esse primeiro é bem simples. Os próximos (já existem no mínimo 13 lições pela fente!) são mais divertidos!

Vinicius disse...

E você vai traduzir todos? Diz que sim, diz que sim, diz que siiiiiiiiiim!rsrsrs

Ibirá Machado disse...

Claro q vou traduzir todos, Vini!! :)

Priscila Cruz disse...

Adorei Ibis!
=D

Fiquei curiosa sobre qual filme é esse que a Natalie Portman faz a princesinha bollywoodiana...qual é?

Abração!!!

Ibirá Machado disse...

Pri!! Que saudades!

Não, ela fez um clipe de um cantor que era, ou é ainda, o namorado dela. Não foi filme.

:)

Isa disse...

Apesar de ser frescura segundo a Carol, achei tão gay e fofo isso de "HiFi"! Vou chamar assim agora! *-*

Vou mandar esse post, aliás, pra uma série de amigos meus que insistem em achar que tudo é Bollywood. Lê-lo será estritamente necessário e fundamental.

Ibirá Machado disse...

Sim, Isa! :)