sábado, 31 de julho de 2010

Homenagem a Mani Ratnam no Festival de Veneza

-
Há menos de um mês falamos da importância de Mani Ratnam para o cinema indiano. Coincidentemente - ou não -, no Festival de Veneza deste ano ele receberá uma homenagem por sua obra, além de ter exibido lá seu mais recente filme, a megaprodução Raavan.

O prêmio Glória ao Cineasta (Glory to the Filmmaker) é dado àqueles que, de alguma forma, trazem uma contribuição mais significativa ao cinema que outros cineastas são capazes de fazer. No caso de Mani Ratnam, o júri do Festival de Veneza resolveu este ano reconhecer a capacidade que ele teve - e tem - de realizar um efetivo diálogo dentro dos cinemas regionais indianos.

Nascido e crescido no Tamil Nadu, sede de Kollywood, indústria que disputa com Bollywood o posto de maior indústria de cinema da Índia, Mani começou seu trabalho fazendo filmes em língua tamil, logo consagrando-se como cineasta de destaque. Mas tão logo começou incursões pelo cinema hindi, sem nunca abandonar o cinema de Chennai, estando, ainda por cima, sempre ao lado do incontestável e também tamil A.R. Rahman, dono das mais significativas trilhas sonoras do cinema indiano.

Os organizadores de Veneza acreditam, também, que Mani foi um dos grandes responsáveis pela atual cara do cinema indiano contemporâneo. Dizem, também, que o poder de seus filmes foi capaz de entrar no imaginário popular indiano ao longo dos últimos vinte anos, coisa que quase nenhum outro cineasta consegue fazer, num país de mais de 800 filmes por ano.

E então, durante o Festival de Veneza, que ocorre de 1 a 11 de setembro próximos, o filme Raavan terá sua premiere, com direito ao próprio Mani Ratnam presente, além dos dispensa apresentações Abhishek Bachchan, Aishwarya Rai e Vikram. A.R. Rahman também estará lá.

E pouco a pouco o cinema indiano vai ganhando mais reconhecimento por aí. O caminho é natural, basta agora torcermos pra que esse reconhecimento também ajude a quebrar certas barreiras aqui e ali, fundamentais pro cinema da Índia ganhar o espaço que efetivamente merece.
-

7 comentários:

Vinicius disse...

O Mani merece a homenagem com certeza! Ravaan não está sendo bem visto! Mais eu tenho certeza de que é um belo filme! pelo menos no visual!

Sei que Abhi e Aish estão em Roma será que vão ficar por lá até chegar setembro para ir a Veneza rsrs

Na verdade não sei se eles ainda estão lá! Mais devem estar!

Ibirá Machado disse...

Vini, ainda não vi Raavan, mas pelo que li, os organizadores do Festival de Veneza estão confiantes que esse filme faça sucesso por lá. Mas não sei se a versão a ser exibida em Veneza será a mesma versão da Índia, ou farão aquela besteira de fazer uma edição internacional, com cortes por todos os lados...

E não creio que Abhi-Aish fiquem na Itália todo esse tempo, não...

barbie-o disse...

Muito merecida, essa homenagem!
Mani Ratnam é um realizador singular e a sua influência no cinema pan-indiano é notória.
Pessoalmente, tenho muita pena que não tenhamos possibilidade de ver por cá os seus filmes tamil, que compõem a maioria da sua obra.
A crítica tem sido unânime em dizer que Raavanan (a versão em Tamil de Raavan) é bastante superior à sua correspondente hindi. É uma pena que não seja mostrada também em Veneza.

Ibirá Machado disse...

Na verdade eu ouvi dizer que ambas as versões serão exibidas em Veneza, mas não consegui confirmar isso e preferi não dizer. Mas não duvido, até porque Vikram também estará presente!

barbie-o disse...

Pois, eu também tentei averiguar mas não consegui.

Carol disse...

Digo nada.

Carol disse...

Depois de Guru e Bombay, gosto dele. Mas Dil Se e suas explosões sempre deixarão uma sombra em nossa relação.