quarta-feira, 31 de março de 2010

Trilogia de Apu em Taubaté

-
Nos últimos tempos vimos a Trilogia de Apu percorrer SESCs de diferentes capitais do Brasil. Foi em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Cuiabá e Florianópolis, mas agora Apu vai sair do circuito capitais e vai adentrar o interior de São Paulo para ser exibido no SESC de Taubaté, a partir do sábado próximo, dia 3 de abril. E pensando bem, nada mais apropriado para a Trilogia ser exibida na terra de Monteiro Lobato, aquele que imortalizou o personagem do caipira e registrou a transformação brasileira da sociedade agrária para a sociedade urbana - eixo da obra prima de Satyajit Ray.

A Trilogia faz parte do ciclo Histórias do Oriente que, na verdade, além da Trilogia irá exibir somente o filme iraniano Às Cinco da Tarde, de Samira Makhmalbaf.

Na programação do SESC Taubaté lemos o seguinte: "Com obras dos cineastas Satyajit Ray e Samira Makhmalbaf, o ciclo de cinema Histórias do Oriente apresenta aspectos das culturas védica e muçulmana, discorrendo sobre situações cotidianas e as relações sociais de um universo distante da cultura ocidental. apresenta um panorama de como a natureza humana manifesta-se em um contexto rico em tradições milenares.

As sessões serão gratuitas. Veja a programação:

Dia 3/4, às 18h
A Canção da Estrada (1955, 122 minutos)

Dia 10/4, às 18h
Aparajito (1957, 127 minutos)

Dia 17/4, às 18h
O Mundo de Apu (1959, 101 minutos)

Dia 24/4, às 18h
Às Cindo da Tarde (2003, 101 minutos)

SESC Taubaté
Avenida Engenheiro Milton de Alvarenga Peixoto, 1264
Esplanada Santa Terezinha - Taubaté/SP
-

5 comentários:

barbie-o disse...

Eu sei que tu já viste esses filmes - ou pelo menos acho que sim. Quero reviews!!!!

Ibirá Machado disse...

Pois é, mulher! A verdade é que eu precisava revê-los! Faz já bastante tempo que vi, não me sinto capaz de escrever sobre depois de tanto tempo. Acho que qualquer hora alugo eles, assisto, e escrevo!

Camila Flavia disse...

Poxa quando A Trilogia Apu estava sendo exibida aqui no Rio eu perdi e assisti em casa mesmo. É na minha singela opinião uma Obra prima, lindo de viver. E o filme iraniano, nossa também vale muito a pena foi o primeiro filme rodado no Afeganistão após a queda do Regime Talibã, muito bom! Se fosse aqui no Rio não perderia a oportunidade. Bjs

Ibirá Machado disse...

Obrigado pelo comentário, Camila!

Sandra Bose disse...

SOCORROOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO este filme de apologia a pobreza de novo!!!!
Fui.