domingo, 14 de março de 2010

My Name is Khan (2010) - माय नेम इज़ ख़ान

-

Desfiz um jejum de quase dois meses sem ver filmes indianos. E embora, como sempre, eu tivesse uma lista longa de filmes esperando por serem vistos, atropelei tudo em nome da minha ansiedade e vi My Name is Khan. Havíamos já citado este filme aqui e da projeção que ele ganhou no Festival de Berlim.

Sendo dirigido por Karan Johar e tendo música feita pelos SEL, My Name is Khan já tinha parte da fórmula garantida pro sucesso. Mas nada substitui a presença do mais unânime casal 20 de Bollywood: Shahrukh Khan e Kajol. E o filme é mesmo deles dois. Talvez o único ator um pouco famoso que também aparece é o jovem Tanay Chheda, que ficou famoso por fazer o amigo de Ishaan, em Taare Zameen Par, e o pequeno Jamal Malik, em Quem Quer Ser um Milionário?. Mas ele aparece pouco e só no começo, fazendo o personagem de SRK quando criança.

Bom, e a história é razoavelmente simples, mas cheia de emoções do começo ao fim. É tanto rir ou chorar que tem vezes que não sabemos o que fazer com nosso rosto e as duas coisas acabam acontecendo ao mesmo tempo. Logo no começo do filme já vemos que a história está sendo narrada por Risvan Khan (Shahrukh Khan), que está, em verdade, escrevendo tudo isso para Mandira (Kajol). É assim que ficamos sabendo que quando pequeno ele não era compreendido nem por seus amigos e nem por sua mãe. Ele visivelmente tinha algum problema, embora fosse ultra inteligente. Não se dando bem na escola, sua mãe acaba contratando um professor particular pra Risvan, potencializando sua inteligência.

Toda essa atenção dada a Risvan deixa seu irmão mais novo, Zakir, muito enciumado e, depois de grande, ele se muda a São Francisco, nos EUA. Mas o rancor não o impede de levar Risvan para lá depois que sua mãe morre. E Risvan leva na bagagem a coisa mais importante que ele tinha aprendido com sua mãe: que no mundo a única diferença que existe entre seres humanos é entre bons e maus.

Assim, lá em São Francisco, a exposa de Zakir, psicóloga, descobre que Risvan é portador da Síndrome de Asperger, uma espécie de autismo "leve". Pra ajudar o irmão, então, Zakir propõe a Risvan ajudá-lo na venda dos cosméticos da empresa em que trabalha, indo de porta em porta nos salões de beleza em são Francisco.

E lá vai Risvan, com toda sua dificuldade de comunicação e de relacionamento - e toda a sua sinceridade -, vender os cosméticos. E é assim que ele conhece Mandira, uma cabeleireira, apaixonando-se por ela imediatamente. Desde então ele sempre volta lá pra vender os produtos, e ela sempre muito amorosa. Não precisa muito pra ele dizer que quer se casar com ela. Insiste tanto que ela aceita. A verdade é que desde o princípio ela também havia se encantado com a simplicidade e o coração puro de Risvan.

Mandira já tinha um filho de outro casamento, o Samir, e era hindu. Fosse na Índia, esse casamento aconteceria debaixo de mil e duas dificuldades, a começar pela diferença de religiões, já que Risvan é muçulmano. Mas sua mãe havia lhe ensinado somente duas diferenças, e era só isso que importava.

O casamento decorre muito bem até chegar o dia 11 de setembro de 2001. Nesta data, não temos como esquecer, ocorreram os ataques às torres gêmeas, em Nova Iorque, e ao Pentágono, em Washington. E, também nesta data, tem início uma nova era de recrudescimento da xenofobia nos EUA e no mundo, principalmente contra muçulmanos. Pouco a pouco, a vida de Risvan e sua família começa a virar um inferno, afetando inclusive Samir. 

O que por fim acontece não irei contar, para resguardar a emoção. Mas é a partir daí que Risvan promete à sua esposa ir de encontro com o presidente dos EUA e dizer a ele uma única frase: "My name is Khan and I'm not a terrorist" (Meu nome é Khan e eu não sou um terrorista). E é daí que a jornada começa e é daí que o link com o começo do filme é feito, já que tudo isso são apenas recordações que ocorrem nessa peregrinação de Risvan em direção ao presidente estadunidense.

E no caminho há uma oposição ultra óbvia a George Bush e um reverenciamento ultra óbvio a Barack Obama, embora nenhum nome seja citado. Também há uma lembrança ultra óbvia com a tragédia do furacão Katrina em Nova Orleans e as populações negras desassistidas. No filme, o furacão passa no estado da Geórgia. E, nesta comunidade negra, que seja feito um merecido destaque à Mama Jenny e seu filho, que acolheram Risvan em sua passagem por lá.

E claro, também é ultra óbvia a inspiração no filme estadunidense Forrest Gump, com Tom Hanks. Há várias referências a ele e isso não se esconde. Mas a história é outra.

Bom, é um filme muito caricato, com personagens caricatos, com as tomadas de câmera típicas de Bollywood, com forte apelativo emocional, músicas super cativantes e sem song-and-dances. No fim das contas, podia ser um filme ruim. Mas ele não é. Logo no princípio ficamos já muito presos em saber se ele irá, ou não, conseguir falar com o presidente e é isso que segura toda a história e toda a nossa atenção e angústia. E a mensagem que ele passa, por simples e batida que seja, é muito necessária. E não só pra Índia, onde o conflito de religiões é muito presente e borbulhante, mas pra todo o mundo.

Então fiquem com o trailer:

-

18 comentários:

Vinicius disse...

Gostei muito da postagem Ibirá você como sempre é demais!! parabéns!!

eu já tava ansioso agora to mais ainda rsrsrs

mais a qualidade que eu baixei tá meio ruim não sei se vejo ou espero a uma nova rsrs

o dúvida viu hahaha mais acho que vou ver assim mesmo não aguento esperar já que já tem legenda ebaa hahaha

Abraços

Ibirá Machado disse...

Obrigado, Vini!

Ih, mas eu acho que o melhor é você esperar! As minhas legendas não estavam boas, não. E era em inglês. Existiam lacunas na legenda, mas não tanto quanto em 3 Idiots.

Abração!

Vinicius disse...

ué mais a Caroline disse que é só 15% bom mais faze o que eu espero rsrsr

abração

Vinicius disse...

ah Ibirá Guruji Ibiroka rsrs

saiu no cine anarquia esse filme também e com outra legenda de uma olhada por favor e veja se é a completa já que já assistiu ao filme rsrs

http://cine-anarquia.blogspot.com/2010/03/my-name-is-khan-my-name-is-khan-2010.html

:D

Caroline Rondi disse...

Ibirá, eu fiz as legendas em português e já tinha postado na comunidade "Quero cinema indiano no Brasil". Ela está também com os diálogos em inglês e a tradução das músicas.

Legenda em portugês para My Name is Khan:

http://www.opensubtitles.org/en/subtitles/3652339/my-name-is-khan-pb


Abs e parabéns pelo seu trabalho

Caroline

Pedro disse...

Como sempre fazendo a gente ficar com vontade de ver o filme ^^
Esperarei a legenda ficar completa.Não gosto de ficar boiando no filme

Guacira disse...

Eita filme bão.....vou esperar pois gosto de assistir com qualidade.


Filme sensivel e direto. Pena que não passa nas salas aqui no brasil.

Esse casal é demais.

3 idiots foi sensacional..All is ..


Já estou ouvindo a trilha sonora do MNIK a muito tempo

Ibirá Machado disse...

Lívia, e aliás, o próprio fato de o filme ter participado do festival de Berlim fora de competição já é sinal também da "preferência" por ele.

Caroline e Vini, desculpa, é verdade, eu tinha esquecido que a Caroline tinha feito as legendas e essa do Cine Anarquia, se não for a mesma, deve ser completa. É que eu não pego legendas em português e nem me preocupo se elas estão ou não completas. Geralmente eu baixo o arquivo que estiver com mais seeders e se a legenda estiver falha eu consigo razoavelmente captar o diálogo em hindi ^^

Caroline, obrigado!

Pedro, então parece que já dá pra ver!

Guacira, é bão mesmo! Pois eu também fiquei viciado nas trilhas sonoras tanto de MNIK quanto de 3 Idiots, antes mesmo de ver os filmes. Aal izz well, aal izz well!

Guacira disse...

Legendas com 1500 linhas MNIK e 3 Idiots....Quem quiser é só me mandar o email.......

Guacira disse...

Eu sempre escrevo errado nos post....

I dont know why....

Eu como as palavras.....

Sandra Bose disse...

Vixi, perdi o tesao em assistir este filme.

barbie-o disse...

Gostei do post. Aguardo o filme.

Monique Rosa Brasil disse...

Não sei porque, mas me arrepiou o trailler. To baixando ele aqui a dois dias e tá em 13%... hehe
Eu provavelmente me mudo semana que veme ficarei sem o looosho de pc em casa durante um tempão.Então to baixando Ghajini,esse,uma série que assisto pelo youtube e ainda falta mais uns dois.Espero que dê tempo gravar tudo antes de eu ir.
Você é um escandâlo, né? lUXO PURO essa coisa de captar os dialógos em hindi.Pra mim eles só falam assim: vra, dra, tra, ishi, ashi, eshi e de novo, vra, tra,dra,nahim...hehe nahim eu entendo.
Mas eu percebi do qeu eu tinha ouvido falar que ele seria meio clichê, mas deve ser bem produzido, então verei.
Caroline Rondi, salvastes o meu dia.

Guacira disse...

Estou no aguardando Raajneeti.....Eu vi o tralier, e parece um otimo filme.

Carol disse...

Não vou ler até ver.Você contou muita coisa do 3Idiots, humpf.

Engraçado, repito o que disse esses dias: é estranho eu ter ficado tantos meses esperando por este filme(quando ainda estavam gravando, acho) e agora que tenho tudo em mãos, sinto que não é a hora de ver.E te amo, Shahrukh Khan.Não é amor, amor, mas de algum modo eu quero que você seja feliz.

Carol, isso aqui não é o Twitter do Shahrukh Khan.

Ibirá Machado disse...

Hahahahaha! É, mas aqui eu me controlei mais em relação a 3 Idiots. De qualquer forma, não leia, então! ;)

Carol disse...

No fim das contas, podia ser um filme ruim. Mas ele não é. [2]

Fiquei tão desanimada com My Name Is Khan que estou triste.Triste de verdade.Achei que de cara seria um de meus filmes favoritos, quando no fim só achei legalzão.

Sameer, te amo.

Estou triste, triste.

Ibirá Machado disse...

É, decepciona...