sábado, 3 de abril de 2010

Aaja Nachle (2007) - आजा नचले

-

Esses dias assisti ao filme Aaja Nachle, depois de muito postergar, e tive uma agradável surpresa. Confesso que esperava menos, em parte pelas sinopses que eu lia, em parte pelo fracasso na Índia. O que me surpreendeu - e isso já adianto - foi a homenagem feita à tradição oral das lendas do mundo indiano/árabe, além de eu reconhecer ali uma homenagem também ao próprio cinema indiano. E sim, é clara a também homenagem a Madhuri Dixit, protagonista do filme. Aaja Nachle significa "vamos dançar"; e não temo em dizer que, se Madhuri não for sozinha a maior dançarina do cinema indiano, ela certamente divide o topo do pódio.

Diya (Madhuri Dixit) vivia em Shamli, no oeste do Uttar Pradesh, onde aprendeu danças indianas com seu mestre, Guru Makarand, no Ajanta, um antigo teatro a céu aberto local. Um dia, Diya apaixona-se por um fotógrafo estadunidense que passava por lá e logo muda-se com ele para Nova Iorque. Acontece que ela estava prometida para outro rapaz e essa decisão dela arruinou a vida de seus pais, que foram obrigados e se mudarem para longe dali.

Em Nova Iorque, Diya tem uma filha com o fotógrafo, mas eles acabam se separando. Alguns anos mais tarde, enquanto dava aula de dança num estúdio novaiorquino, Diya recebe uma ligação dizendo que seu guru estava no leito de morte. Ela volta correndo à Índia, mas não consegue chegar a tempo. No entanto, seu guru deixa a ela uma mensagem de vídeo onde ele diz que o Ajanta havia sido abandonado desde que ela partira e agora corria o risco de ser demolido para a construção de um shopping. E somente ela poderia salvá-lo.

Raja Uday Singh (Akshaye Khanna) é o político local por trás dos planos do shopping; Farooque (Irrfan Khan), por sua vez, é o empresário com o dinheiro. Ele, aliás, casou-se com Najma (Divya Dutta), a melhor amiga de Diya. Bom, e então Diya vai conversar com o político e ele dá a ela dois meses para ela resgatar o Ajanta com uma peça que teria que ser encenada com moradores de Shamli, e não dançarinos profissionais. E se ela fracassasse, o Ajanta seria demolido.

E então começa o trabalho hercúleo de Diya. Ela decide montar um musical baseado na história de Laila e Majnu, uma espécie de "Romeu e Julieta" do mundo árabe, que, ao que consta, existiu de verdade nos idos do século VII.

Pouco a pouco, consegue montar seu elenco e Laila será Anokhi (Konkona Sen Sharma) e Majnu será Pathan (Kunal Kapoor). Os ensaios começam e tudo indica que jamais conseguirão ficar bons a tempo. Pra dar a tensão básica, um outro político que estava do lado de Diya, Chaudhary Om Singh, é comprado por 5 milhões de rúpias, prejudicando - e muito - o andamento dos ensaios.

Mas Diya é determinada. Nem mesmo o senso comum local, que a vê praticamente como uma prostituta, pelo seu passado, a impede de encarar o desafio e transpor os obstáculos. E chega, então, a grande noite. 

Ok, é tudo previsível e óbvio. Mas (quase) nada ali é verossímil. O espetáculo, que ocorre num teatro a céu aberto e sem verbas, é grandiosíssimo, os cenários mudam a todo instante, é uma superprodução que jamais poderia ocorrer naquela estrutura. Mas isso não importa; a inverossimilhança é completamente proposital e é isso que encanta.

Passamos o filme todo ansiosos pelo espetáculo que, no filme, não dura mais de vinte minutos. A espera vale a pena. É nessa hora que a grande homenagem é feita. Ali celebra-se a narração oral de lendas em versos, tradição antiquíssima no subcontinente indiano, celebra-se a tradição da dramatização com música e, nesse ponto, o cinema da Índia acaba sendo homenageado como o grande acolhedor desse momento mágico que é ouvir histórias através de músicas e danças.

Aliás, as músicas são, de forma geral, muito boas. Composta pelos irmãos Salim-Sulaiman, a trilha sonora oficial acabou não incluindo algumas das músicas que aparecem na sequência da peça Laila-Majnu.

Bom, e como quase sempre tem que ocorrer, o filme foi banido por um tempo no Uttar Pradesh, Haryana e Punjab por uma polêmica provocada na letra de uma música, onde fica implícito que uma casta é inferior a outra. Após desculpas oficiais da produção, o banimento caiu. Com banimento ou sem banimento, o filme não fez sucesso no país. No entanto, para os que tem Madhuri como a deusa suprema de Bollywood, daí, sim, esse filme foi um grande sucesso e uma linda homenagem a ela.

Pelo sim, ou pelo não, é um filme muito peculiar e que vale a pena ser visto, não esperando, porém, pela coerência dos fatos, mas sim pelo próprio encanto em si.



Colaboraram: Isabela Lundeen e Pedro Custódio
-

23 comentários:

Carol disse...

Genteeeeem, olha os nomes dos meus bonitinhos ali *-*

Aaja Nachle é basicamente minha trilha favorita até hoje, ou pelo menos estou certa de que é a que ouvi mais vezes.Linda, linda, linda.Só de lembrar da voz da Shreya dizendo Koi patthaaaaaar se na maareeeeee sinto um arrepio, é lindíssima essa trilha.

O filme não me agradou muito, me lembro bem disso.Mas é engraçado que ao me lembrar dele, especialmente do musical Ishq Hua, fico com um quase nó na garganta...foi meu primeiro filme indiano que se passava na Índia, e este musical me parecia mostrar bem o lugar.Ah, como eu estava feliz.Aaaah, como eu ainda sou feliz só de lembrar!Não há dúvidas de que esse filme me fez feliz.

Madhuri dançando é um absurdo de tanta beleza, gente.Aliás, nisso o filme me trouxe um certo probleminha: foi um dos primeiros que vi(o 3º) e fiquei achando que toda indiana que visse dançando faria igual à Madhuri.Obviamente, não fizeram...e demorei um pouco para me recuperar da decepção :P Madhuri, não brilhe tanto.Queria saber como ela faz isso.

Ah, como esquecer que foi meu primeiro filme com a Konkona?Fiquei encantada com a transformação dela no filme, essa menina é uma atriz sensacional.Já falei isso quantas vezes?

Ei, escolheu minhas duas fotos queridas!A da Madhuri fada e a da Ishq Hua!Obaaaaa!

*Carol lembra de uma pequena menina dançando Ishq Hua num quarto de apartamento em Niterói, com todas as cortinas fechadas*

Laila-Majnu: perfeito.Eu não esperava tanto quanto recebi do musical, foi espetacular.Lembro de uma vez ter postado no Twitter que estava ouvindo Ishq Hua e um canadense que sigo me disse que era uma linda música e acabou me enviando por e-mail o áudio da seqüência Laila-Majnu sem interrupção.Sim, tenho uma linda gravação de 25 minutos que ouço sem neeem perceber que o tempo passa :)

Enfim, uma gracinha de filme com o qual sou muito menos crítica hoje, ao qual sou muito grata por ter me mostrado a Índia(não agüentava mais Nova York) e que só Deus sabe como conheci e porque vi.Um doce.

Não vinha aqui há 9485843573 anos aqui, mas esse post é importante pra mim (H)

Pedro disse...

Eu ADORO esse filme,acho simplesmente encantador.:D
[Claro que a Madhuri é um fator muito importante;)]
Como diz a Carol:"O musicas e o danças."

Carol disse...

Como eu digo?


o.o

Ibirá Machado disse...

Caroooooool, vc faz falta aqui! Agradeça ao Pedro pelas fotos, ele que selecionou pra mim :)

"Koi Patthar" = Arrepio. Com certeza. É simplesmente linda.

Pedro, e convenhamos, a Madhuri é o filme, e ponto!

Ibirá Machado disse...

Ah, Carol, não duvide do Pedro. Você deve ter dito um dia "ô músicas, ô danças", e ele não esqueceu! ;)

Isa disse...

Que lindo, meu nome ali no finalzinho! Emocionei-me.

Eu não gostava muito nem de Is Pal nem de Koi Patthar Se Na Mare quando ouvi primeiramente, mas depois todas as novidades me conquistaram.

Engraçado que a trilha sonora desse filme eu fui conhecendo gradualmente: primeiro Aaja Nachle, depois Ishq Hua, um ano depois O Re Piya, e, após mais um ano, as restantes. Mas a trilha toda vale a pena.

A Carol e eu definitivamente não temos o mesmo gosto! Eu sei que parece difícil eu acabar não gostando de um filme depois de vê-lo o tanto que eu vi, só pelas legendas, só que aquele filme me conquistou desde a primeira vez. E a Madhuri me convenceu que é uma rainha.

Enfim, é só uma pena que o filme não tenha sido o sucesso que ele merecia ser... Ainda mais depois de eu ter visto Rab Ne Bana Di Jodi hoje, essa minha indignação aumentou.

Ah, e eu ainda quero traumatizar alguém a respeito da Konkona e do Mohan. Hoho.

barbie-o disse...

"Homenagem" e "encanto" são a descrição perfeita para este filme.
Adoooooro a peça musical Laila-Majnu. E amo também o casal Konkona e Kunal ^_^

Texto muito bonito, Ibirá!

Guacira disse...

Assisti faz tempo já...mas tomo banho ouvindo Ishq Hua.

Ibirá Machado disse...

Isa, já que esse filme faz tantas homenagens, por que não uma a você também? ;)

Barbie, grazie!

Guacira, nunca esperei receber um comentário como esse seu! Adorei!

Bárbara disse...

Olá Ibirá!
:) O filme é tão maravilhoso que é um prazer falar nele, não precisava nem agradecer! Eu é quem agradeço um comentário tão apaixonado! Se as pessoas se importassem mais pelas coisas bonitas do mundo como você, tenho certeza que o mundo seria melhor.
Eu espero um dia fazer a diferença na vida dos meus alunos como o Nikumbh fez na vida do Ishaan! :))
Já assinei o abaixo assinado!

:)))
Bárbara

Ibirá Machado disse...

Oba! Você foi o número 550 no abaixo-assinado! :D

Mas é sério, eu fico sempre muito feliz quando vejo postagens e comentários sobre Taare Zameen Par, e ver o fenômeno que ele está sendo no Brasil. É simplesmente um absurdo não termos ele oficialmente por aqui.

Mas é questão de dias! Com essa força toda, logo mudaremos esse cenário.

Obrigado mais uma vez, Bárbara! :)

Luísa Borges disse...

Amo a música aaja nachle!
A Aish dança igual a Madhuri!
As duas arrasam!

Luísa Borges disse...

Uma coisa bem comum eh achar quer toda indiana dança bem,principalmente as de bollywood.
Mas pra mim só existem 2 ATRIZES que dançam PERFEITAMENTE BEM(perfeitamente eh perfeitamente),que qm conhece Bollywood sabe qm eh.
A Madhuri e a Aish s2
Que arrasam sem dúvidas!
Outras que dançam bem tem,a Kareena dança bem a Rani tbm,mas não perfeitamente.

Ibirá Machado disse...

Concordo com você, Luísa. Quando disse que se ela não estiver sozinha no topo do pódio, eu realmente pensei na Aish. É por isso que Dola Re Dola imortalizou-se!

Luísa Borges disse...

Na verdade todos dos vídeos de Devdas são lindos!
Maar Dala,é lindo!
Outro que eu acho muito fofinho,mas um dos mais fofinhos de todos é bairi piya,a Aish ta tão bonitinha!

Pri disse...

Já falei milhões de vezes que foi meu segundo filme né, depois de Devdas e tals...daí ficou no meu coração e tenho verdadeiro sentimento de posse sobre ele!!
Hahahhahahahahahhaha

Mas sabendo do amor dos meus amigos por ele também eu, que sou uma pessoa compreensiva, compartilho com vocês....rsss
Mas lembrem-se que a roupa da Madhuri é minha, a dança também! E apesar da Carol ter furado meu olho nesse filme eu não divido o Kunal com ninguém ok??? Pulo em cima dele que nem a Laila e ninguém toca nele

O filme é lindo, uma vez escrevi para o Ibirá que quem gosta de arte iria gostar desse filme porque ele expressa esse amor que surge em quem alguma vez já teve um contato maior com a arte. Não sei vocês mas eu sempre estive ligada ao mundo artístico, meu pai artísta plástico, e eu já fiz um pouco de tudo: dança, música e teatro e conheço bem a emoção de estar em um palco. Então meu amor enooooooooorme por esse filme!!!

Eu já tinha escrito sobre ele na postagem da Madhuri, mas fica aí um comentário mais completo do meu amor por Aaja...rss

Ibirá Machado disse...

Super obrigado, Pri!

Vinicius disse...

Bem como eu já disse na comu eu amei o filme!

É tudo tão bonito nele, as danças, as músicas, os cenários tudo!

Eu amei a Peça do Final Laila e Majnu! Até chorei um pouco na historia da peça rsrs e depois quando todos da platéia começa a bater palmas! hehe

Eu amei também o Romance da Konkona com o Kunal tão fofos rsrs

Esse filme me fez ter vontade de Nachlar ou seja dançar rsrs

Ibirá Parabéns pelo seu texto! Você como sempre é demais nas postagens! Abraços

Ibirá Machado disse...

Eba! Super orbigado pelo comentário, Vini! Não tem quem não goste desse filme! :D

Vinicius disse...

Ibirá eu que agradeço sempre :-)

e realmente não tem quem não goste desse filme! rsrs

Melissa Queiroz disse...

O filme é ótimo, até pq tem minha cantora favorita, Sunidi Chauan *-*

elidiane silva pessoa disse...

Eu amo de paixao já assiste umas vinte vezes não estou mentindo. A historia ,a musica e principalmente a dança me encantam e claro sou a maior fã da atriz madhuri

Andréa disse...

Que bom encontrar esse blog! Vi esse filme no canal MAX HD e estou APAIXONADA! Assisti 3 vezes e não paro de ver trechos dele no You Tube. E o que é essa atriz Madhuri? Fantástica, liiinda de morrer, muito talentosa. Seria um sonho poder tê-lo pra assistir quando quiser...que pena meu aparelho de TV a cabo não gravar.