domingo, 10 de agosto de 2008

Sing is Kinng - सिंह इज़ किंग

Na postagem sobre o cinema punjabi, a Sandra escreveu um comentário a respeito do filme Sing is Kinng, que acaba de ser lançado na Índia e já está causando bagunça. O filme não é de Punjwood, mas de Bollywood mesmo, que, vira e mexe, roda filmes com o tema dos sikhs, religião predominante no estado do Punjab.

A produção foi quase toda rodada na Austrália, embora tenha passagens em outros países, como Emirados Árabes e Egito, passagens típicas de Bollywood. A história conta o dilema de um sikh muito bem sucessido no cenário underground australiano, que descobre haver um outro sikh aparentemente mais bem sucedido que ele, o Happy Singh, que vive num pequeno povoado do Punjab. Desenrolando-se em torno da disputa entre os dois, Sing is Kinng (S.I.K, alusão à religião Sikh) não passa de mais um programa de entretenimento com uma mulher bonita (Katrina Kaif, bonita e famosa) e um ator famoso (Akshay Kumar, famoso e, segundo algumas, bonito também...) no meio. Boa parte da inspiração deste filme saiu do bem sucedido Lucky Singh de Lage Raho Munnabhai, que falaremos algum dia.



Sandra ainda chegou a mencionar o status de "macho" do homem sikh, o que não é mentira. Por força das condições geográficas e históricas da civilização indiana, a região do Punjab, como já foi dito, é uma das mais férteis daquele subcontinente e, consequentemente, acaba reunindo grandes fazendeiros e comerciantes. Por causa disso, mas também por outras questões culturais, os sikhs, embora percentualmente poucos no total da população indiana, são tradicionalmente donos de negócios e por vezes envolvidos em esquemas ilícitos (isso confesso pelo que aprendi no que mostram todos os filmes envolvendo esse povo). Não por menos, um sikh costuma ser referido por sardar, ou chefe/patrão, em hindi. Quem já teve a oportunidade de passar pelo Terminal 4 do aeroporto de Heathrow, em Londres, deve ter notado a quantidade de donos ou gerentes de lojas com turbantes; se passou por lá e não notou, não deixe de prestar atenção nos sardars.
-

6 comentários:

Sandra Bohn disse...

Ibirá,

Já assisti muitos filmes de Bollywood e percebi que em muitos filmes eles caracterizam o personagem "Sikh" tal como o nosso famoso personagem português nas piadas brasileiras. Tem fundamento essa minha percepção?

Sandra Bohn

Ibirá Machado disse...

Olá Sandra!

Pois é, a zoação é mesmo generalizada com os Sikhs, seja em filmes, seja pela internet, seja pessoalmente na Índia, os Sardars são o alvo. Só que não há exatamente uma razão para isso. Dizem que as piadas têm origem com o próprio surgimento da comunidade Sikh, que nasceu guerreira (os Sikhs são tradicionalmente "guerreiros", tanto é que há um pelotão do exército indiano exclusivo dos Sikhs), empresarial, corajosa. Isso pode ter causado inveja e ciúme nos outros que não eram Sikhs, como os hindus, parsis e muçulmanos do Punjab. Fato é que eles são mesmo o alvo e que recentemente eles começaram a reivindicar respeito pelo comunidade deles.

Om Shnati Om

Lígia disse...

É interessante falar isso pq, normalmente qdo se vê alguém com turbante ja se associa a árabes e oriente médio
Uqer dizer... na minha humilde opinião de professora
hehehe

Profª Sandra Bose disse...

Valeu Ibirinda!!!
Vc sempre atualizado e por dentro de tudo.
Postagem PERFEITA!!!
So nao tive coragem de ir assistir pois vai que jogam umas bombas como fizeram com o filme Jo Bole So Nihal.
Nao to afim de morrer ou voltar pra casa sem uma perna.
Quando sair em dvd eu compro e assisto segura no conforto do meu lar .
Om Shanti

madhu disse...

Concordo! Ótima observação Ibirá! Coitados dos Sikhs, foram de alguma forma, o alvo das piadas...
Falando agora do filme: eu não gostei muito não, fiquei meio impaciente com a trama. E olha que sou daquelas de sentar e ver os filmes no maior interesse, ou quando não gosto muito, vejo mesmo assim com um bom tanto de paciência. Mas este não curtí mto não!

Carol disse...

Não vou ver nunca,decidido.