terça-feira, 14 de abril de 2009

Shivaji domina as bilheterias do Maharashtra

_

Quem conhece um pouco da história do Maharashtra há de ter ouvido também o nome de Chhatrapati Shivaji Maharaj. Se não ouviu, mas passou ao menos por Mumbai,- capital do estado -, eu diria que então não percebeu o nome dele por todos os lados. Pra começar, o aeroporto internacional de Mumbai chama-se Chhatrapati Shivaji International Airport e a mais famosa estação de trem anglo-indiana de Mumbai, mundialmente conhecida por Victoria Terminus, hoje chama-se Chhatrapati Shivaji Terminus.

Shivaji Bhosle, hindu, nasceu perto de Pune numa família de funcionários do império Mogol, um dos maiores impérios islâmicos que já existiram no mundo e que chegou a dominar, no ano 1700, praticamente toda a Índia, incluindo o que hoje é o Bangladesh, Paquistão, Afeganistão, Nepal, Sri Lanka e parte do Irã. Dentre os imperadores mugais mais famosos estão Akbar e Shah Jahan, esse último famoso pela construção do dispensa-apresentações Taj Mahal, o túmulo de uma de suas concubinas preferidas, Mumtaz Mahal. Neste cenário todo, a mãe de Shivaji sempre disse a ele que a Índia não poderia ficar nas mãos do império Mogol e que alguma coisa deveria ser feita.

E ele fez. Aos 17 anos armou sua primeira emboscada contra um dos fortes mugais perto de Pune, e assim foi dominando um por um, sucessivamente. Logo tornou-se rajá (rei), e foi ampliando seu domínio, acabando por conformar as fronteiras do que hoje é o estado do Maharashtra, ou Grande Nação. Shivaji é louvado não só dentro das fronteiras que fundou, mas também em grande parte da Índia, por ter dado início à derrocada do Império Mogol, por ter desenvolvido um exército revolucionário e por ter criado a primeira frota naval da Índia bem organizada.

Bom, mas to falando tudo isso não só pra trazer um pouco de história pra vocês (o que é sempre bom!), mas principalmente pra introduzir-lhes a uma reportagem que encontrei sobre um filme marathi que já bateu os recordes de todos os tempos do Maharashtra, não sendo em língua hindi. O filme, Mi Shivajiraje Bhonsale Boltoy (मी शिवाजीराजे भोसले बोल्तोय - Eu Sou Shivaji Bhosale Falando), conta a história de um homem, Dinkarrao Bhonsale (o mesmo sobrenome do marajá), que não era respeitado por ninguém e tinha vergonha de ser marathi. Mas eis que Shivaji em pessoa aparece pra ele e faz a situação reverter-se, mostrando a ele como os desafios devem ser enfrentados e vencidos. É a fórmula que os indianos tanto gostam, ainda mais com um ícone desses. E na indústria de cinema do Maharashtra falada em marathi, afogada por trás de Bollywood e seu hindi, o sucesso desse filme tem ainda um valor simbólico mais forte, como se Shivaji Maharaj contribuísse, uma vez mais, a trazer a supremacia do povo maratha. Leiam agora a reportagem que me instou a escrever tudo isso a vocês:

Marajá Shivaji domina as bilheterias

no ScreenIndia.com

O filme marathi Mi Shivajiraje Bhonsale Boltoy (Eu sou Shivaji Bhosale Falando) acaba de acumular a incrível quantia de 15 milhões de rúpias (cerca de 750 mil reais) no primeiro fim de semana de estreia. Estrelando Mahesh Manjrekar e Sachin Khedekar, o filme foi lançado em todo o Maharashtra no dia 3 de abril [dia da morte de shivaji], em 139 salas de cinema. Manjrekar é também o co-produtor do filme junto da Everest Entertainment. Considerado o primeiro hit do ano, esse filme está prometendo desbancar até mesmo os filmes hindi produzidos na capital do mesmo estado. Mi Shivajiraje Bhonsale Boltoy está sendo recebido com um grande entusiasmo por todo o Maharashtra.

Durante a sessão de estreia, o produtor Sanjay Chhabria, da Everest Entertainment, disse: "Nós sabíamos que tínhamos um filme fantástico em nossas mãos, mas toda essa histeria coletiva em torno dele está sendo incrível. Os filmes marathi geralmente crescem com o boca-a-boca e não fazem sucesso na estreia. Esse tipo de coisa que aconteceu é um enorme impulso pro futuro do cinema marathi."

A Eros International lançou o filme não só no Maharashtra, mas também em outras regiões, como Gujarat, Marathwada (Nizam), CP e Belgaum, estabelecendo novos padrões para as escalas dos lançamentos marathis.

Dirigido por Santosh Manjrekar e estrelando a nata do cinema marathi - Mahesh Manjrekar, Sachin Khedekar, Suchitra Bandekar, Priya Bapat, Abhijit Kelkar, Siddharth Jadhav e Bharat Dabolkar - o filme conta a história de Dinkarrao Bhonsale (Sachin Khedekar) que compartilha o sobrenome do famoso imperador maratha (Mahesh Majrekar), mas as semelhanças acabam por aí.

A crítica descreveu o filme como uma obra leve mas que faz pensar - provocativo e sensível. De acordo com eles, Mi Shivajiraje Bhonsale Boltoy é uma empolgante história da luta de um homem desamparado contra os males da sociedade, buscando sua identidade e manter o seu orgulho.



3 comentários:

Profª Sandra Bose disse...

Nem fiquei sabendo sobre este filme. Muito boa a postagem e as explicacoes, mas Mamutaz nao era esposa era so concubina ;)
Por isso mesmo Aurengzeb mandou prender o pai no Agra fort. Pois Shajahan preferia a concubina a sua mae que era a esposa oficial do Sha.
Sabe o que Aurangazeb fez com o harem do pai depois que mandou prende-lo????? hehehehehe adivinhe...

mercurioretrogrado disse...

O filme tem boa pinta. Obrigada pela dica, vou tentar consegui-lo.
Abraço,
Bru.

Ibirá Machado disse...

Sandra, é verdade, era concubina!! E bem que um filme podia ser feito contando toda a história real do Shah Jahan até Aurangzeb prendê-lo e fazer a festa... haha... o que acha? Aliás, falando em Aurangzeb, lembrei-me do falso Taj Mahal e da menina enganada... se é que vc me entende... aiai... cada uma!!!