sábado, 4 de abril de 2009

Rang de Basanti (2006) - रंग दे बसंती



Existe uma imagem quase inquebrável de que o cinema indiano (Bollywood, principalmente) é um poço de comédias românticas toscas com song-and-dances a cada quinze minutos e que nada além disso surge dali. Os usuários do Youtube ainda fizeram o favor de popularizar sátiras já famosíssimas - ao menos para grande parte dos internautas brasileiros - como o consagrado Rivaldo, Sai Desse Lago (que na verdade é de Kollywood, a indústria em língua tamil), fazendo com que grande parte das pessoas REALMENTE pensem que aquilo é Bollywood. Mas quem já acompanha o Cinema Indiano há mais tempo (e os curiosos que se deram ao trabalho de vasculhar todos os nossos arquivos), deve ter percebido que eu faço um relativo esforço em mostrar que o cinema indiano é capaz de produzir coisas boas, realmente boas, e que mereciam muito mais destaque internacional do que têm.

Um dos casos que não me canso de repetir é Taare Zameen Par, além de tantos outros que já foram aqui colocados. Mas estou falando disso tudo porque hoje vou falar de Rang de Basanti, um marco na história de Bollywood. Rang de Basanti (Pinte de Açafrão, 2006) é escrito e dirigido por Rakeysh Omprakash Mehra e tem Aamir Khan num dos papéis principais, além da trilha sonora ser de A.R. Rahman.

Parecia-me ser um filme simples, sem nada de muito especial, até mais ou menos sua metade. Mas ele tem nada menos que 2h40 de duração, e então a metade significa ainda muito filme por correr. Trata-se de uma garota britânica (Alice Patten) que vai à Índia determinada a fazer um documentário contando a história de um dos primeiros indianos que lutaram pela independência do país, baseada no diário de seu avô, que foi soldado britânico na Índia. Uma vez em solos indianos, a britânica Sue acaba elencando para seu filme um grupo de cinco jovens universitários indianos de Delhi, típicos exemplos da juventude moderna descompromissada. Conforme o filme vai passando, porém, um amigo em comum deles morre num acidente da força aérea indiana - no qual ele era o próprio piloto - e de repente as coisas mudam em todos. A forte corrupção no governo parecia ser a causa real do acidente, inflando neles a vontade de que a justiça fosse feita.

Falas do documentário que estavam fazendo intercalam-se com falas reais que agora vinham à tona em seus corações. O desejo de construir uma nação melhor surge em todos, mas a raiva de terem perdido um amigo que estava agora sendo acusado de ter sido negligente no acidente leva-os a um plano sem volta - matar o Ministro da Defesa. E de repente, o filme que seguia na construção de um documentário simples, mas com todas as suas dificuldades, converte-se numa obra-protesto, quase panfletária. O filme mais parecia um daqueles em que o eixo central é mostrar que todas as religiões da Índia devem estar unidas em nome da nação, mas de repente quem leva o soco é o próprio governo indiano e quem é chamado para a briga é a juventude indiana.

Mas muito além de o filme ser bom enquanto filme, ele significou um profundo marco em Bollywood e na história social da Índia. Em Bollywood, significou a introdução definitiva de temas diretamente relacionados à juventude nos filmes da Índia, forçando a mudanças sensíveis nas produções de todas as indústrias cinematográficas indianas. Mas em termos sociais, Rang de Basanti simplesmente acordou uma enorme parcela da população que estava absolutamente acomodada com o agradável crescimento econômico do país e não viam (ou fingiam não ver) as profundas podridões por trás de tudo - sobretudo a corrupção, uma das piores do mundo. De fato, o próprio caso do acidente aéreo mostrado não é invenção, e quando o filme acaba uma frase diz que o ele é dedicado aos 78 pilotos que morreram num dos 206 acidentes da força aérea indiana nos últimos 15 anos.

Desde então, inúmeros protestos começaram a acontecer na Índia, em muitos dos casos liderados pos jovens. A mídia não demorou pra começar a chamar esses protestos de "efeito RDB", em alusão à sigla do filme.

Em 2007, Rang de Basanti foi indicado ao prêmio BAFTA de melhor filme estrangeiro, mas não ganhou. No Filmfare Awards, levou os prêmios de melhor filme, melhor roteiro, melhor diretor, melhor ator pela crítica (pra Aamir Khan) e melhor música (pra A.R. Rahman). O filme custou cerca de 10 milhões de reais pra ser feito, mas arrecadou seis vezes. Até o presente momento, Rang de Basanti foi o filme indiano que mais vendeu cópias em DVD.

E abaixo vai o trailer:



18 comentários:

Profª Sandra Bose disse...

Mais uma obra-prima do nosso amado Aamir Khan!!
Como nao admirar um ator talentoso desses???!!!!

Jules disse...

Eu gosto bastante desse filme. Quando assisti também estava achando simples até que o assunto da juventude veio a tona.
É bem bacana!

Aamir Khan tem feito bons filmes.
Fale do 'Lagaan', que também é muito bom!

Ibirá Machado disse...

Indeed, indeed! Lagaan virá em breve! Vamos deixar outras coisas virem por aqui também, porque senão Aamir vai dominar demais a cena! haha...

Profª Sandra Bose disse...

Esqueci de dizer que ja assisti duas vezes ao Rang de Basanti :)

Este ano "nosso" Aamir Khan vai atuar com Karena Kapoor (detesto ela)
no filme 3 IDIOTS, uma adaptacao de um livro por C. Bhagat. Depois o Ibira passa a ficha tecnica toda....
O interessante vai ser ver Aamir Khan fazendo papel de um mocinho de 22 anos de idade. Ele ja havia sido MUITO criticado aqui na India pela midia por ter feito o papel de estudante universitario neste filme Rang de Basanti quando ele estava na casa dos 30. Vamos ver ano como a midia local vai reagir.......

Ibirá Machado disse...

Estamos ansiosos por ver! ;)

Natália Diacoyannis disse...

Que legal ver esse post aqui justo agora que acabaram de me indicar esse filme e que eu ainda não tinha me dado o trabalho de pesquisar sobre que se tratava! Valeu!

barbarella disse...

É verdade, o Aamir Khan às vezes surge em papéis bem mais jovens do que ele próprio, mas então o que dizer de Shah Rukh Khan? ;)
Este filme é realmente muito bom, a escalada dramática é genial e ineesperada, adorei.

Ibirá Machado disse...

De fato, escalada dramática é um bom termo :)

mercurioretrogrado disse...

Olá! Morri de rir com o vídeo de "Rivaldo, sai desse lago". Que imaginaçao! :-) Eu adoro os filmes do Sul da Índia, pena que nao sejam tao comerciais como os de Bollywood. Concordo com vc em relaçao à primeira metade de Rang de Basanti; inclusive, comecei a ver o filme duas vezes e nao consegui me concentrar (confesso que ver o Aamir Khan como adolescente me irritou um pouco, além da "babaçao" ao redor da inglesa), mas um dia me decidi a vê-lo até o final, e me emocionei muito, adorei! :-)
Por falar em crítica social, vc já viu Anniyan? É um filme tamil que me parece simplesmente espetacular, muito criativo!
Um abraço,
Bru Lyrio.

Ibirá Machado disse...

Já coloquei o Anniyan pra baixar!!! Valeu pela dica ;)

E sobre o Aamir jovem, eu sinceramente achei ele ótimo, de verdade, inclusive em relação à babação ao redor da inglesa. Os indianos REALMENTE são daquele jeito, por isso achei tão bom!!!

Cris disse...

Eu tenho esse filme!!! Ganhei de um jovem indiano que me chama de mãe. Chegou pelo correio e fiquei tão surpresa por dois motivos: ele é de uma igreja onde os evangelicos não podem ir ao cinema ver filmes e nem assistir TV (???) e o outro motivo é que o filme estava recem lançado, achei muito rápido como a coisa funciona Gostei muito de Rang De Basanti, mas só fui dar o valor devido depois que assisti Magal Pandey (O Motim)
Olha, amo, amo, amo esse Aamir Khan, é paixão mesmo, se eu pudesse eu veria todos os filmes dele, tenho poucos (Fanaa, Lagaan, Mangal Pandey, Earth, Andaz Apna Apna, Taare Zameen Par, Ghajini e Rang de Basanti) e pra mim ele é o melhor, só não curti muito Ghajini por causa da estória, mas mesmo assim vale à pena pela interpretação e ele está muito diferente.

Besito, obrigada pelo blog...

Ibirá Machado disse...

Eu é que agradeço pelo comentário!!!! Como eu sempre digo, Aamir é O cara... eu sei que meu dever de blogueiro sobre o cinema indiano é, até certo ponto, ser imparcial, mas não tem jeito!!!

Luiz लुईज़ disse...

Finalmente consegui assistir esse filme. Confesso que depois da primeira hora foi uma agradável surpresa. O filme não cresce apenas como obra, mas também dentro da gente.... eu que não sou indiano me identifiquei muito com tudo (afinal muitas coisas não são nada distantes na nossa realidade aqui). Que mais e mais filmes como esse surjam pra abrir os olhos da juventude acomodada.

Ibirá Machado disse...

Nossa, adorei seu comentário! É isso aí, que venham mais!! ;)

Monique Rosa disse...

euquero veerrr

Moniquetudybom disse...

ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
Viva a Sheila! Viva o Anupam!
Vou assistiiiiir!

Renata MMP disse...

Esse filme mexeu comigo. Foi certeiro em questões que já rodavam a minha cabeça.

madhu disse...

Tá aí um dos filmes indianos (nem digo só de Bollywood) que mais gosto! Até que enfim um filme para dar um "sacudidinha" na juventude indiana, que anda tão "americanizada"...
Além de ser um excelente filme, a trilha sonora é linda! "Tu bin bataye" é a minha preferida deste filme!