segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Mann (1999) - मन

-

Tem alguns filmes que, se me pedem a recomendação, eu não dou jamais. O Cinema Indiano já deu alguns poucos desses exemplo e hoje vocês terão mais um. No entanto, na mesma esteira desses filmes, há obras que merecem serem vistas por um certo caráter histórico que elas representam. E Mann é uma delas, unicamente por ter Aamir Khan como protagonista. Não fosse a presença de Aamir, esse filme jamais teria surgido como possibilidade de ser visto.

Além de Aamir Khan, no papel do playboy mulherengo Karan Dev Singh, o filme ainda conta com Manisha Koirala, como Priya, e ainda com Anil Kapoor, como Raj, noivo de Priya, e Sharmila Tagore, como avó de Dev. O elenco é de peso, mas a história de Aatish Kapadia e a direção de Indra Kumar deixam muito a desejar. Pra piorar, os 160 minutos de filme são intermináveis.

E a história é a seguinte. Karan Dev foi prometido a Anita (Deepti Bhatnagar), filha do riquíssimo Singhania (Dalip Tahil), a quem Karan Dev trabalha. A negócios em Singapura, Dev decide retornar a Mumbai de cruzeiro, ao invés de pegar um avião. E eis que no navio ele conhece Priya, que acabara de vencer uma competição de dança.

Uma certa confusão relacionada ao quarto de ambos aproxima os dois. Dev, mulherengo de carteirinha que é, inicia uma investida em cima de Priya, que o rejeita, dizendo que estava noiva, embora demonstre uma certa queda. Dev não se deixa vencer e há toda uma longa viagem de navio pra ele atuar.

No entanto, ele é, ao mesmo tempo, uma pessoa pública e muitos sabem que ele iria casar-se com Anita. Assim sendo, alguns babaquinhas do navio saem atrás de Dev para tirar fotos e pentelhar, ao mesmo tempo que um desses apaixonou-se por Priya e ia todo tempo atrás dela. O problema é que esse grupinho é tão caricato ao extremo que dava vontade de botar o filme pra frente toda hora que apareciam. A risada de um deles era insuportavelmente irritante!

E então o navio para por umas horas numa ilha a meio caminho, possivelmente na Tailândia, ou algo assim. Nesta ilha mora a avó (Sharmila Tagore) de Dev, já viúva, que havia se mudado para lá, com o marido, para viverem a velhice. Dev convida Priya para conhecer sua avó, e ambas se entendem de tal maneira que choram e se abraçam fortemente quando o navio anuncia que precisa partir para seguir viagem.

Já nessa altura Priya e Dev não podem negar que estão apaixonados. Mas ambos são noivos, com casamentos marcados. Quando o navio chega em Mumbai, eles então combinam de se encontrar em frente ao Gateway of India, em Mumbai, no dia 14 de fevereiro (dia de São Valentino, que é o dia dos namorados para a maior parte dos países). Assim, pouco antes do dia marcado, Dev aparece na TV dizendo que não iria se casar com Anita pois estava apaixonado por outra. Raj, sem nem imaginar que a amante secreta de Dev fosse sua própria noiva, parabeniza Dev por seguir o próprio coração.

Pouco depois, Raj acaba por descobrir que era Priya a amada de Dev, e diz a ela também seguir o coração, pois ele mesmo amargava no coração um amor que ele deixou em Londres, para casar-se com Priya. Ela então vai correndo atrás de Dev, no dia marcado, mas, na pressa, acaba atropelada e tem as pernas amputadas.

Dev não fica sabendo de nada e acha que havia sido deixado pra trás. Como ele também havia perdido o emprego com o milionário Singhania, acaba virando mendigo e ganha dinheiro fazendo bicos em pintura de faixas de rua e lombadas, já que seu hobby era pintar. Durante as madrugadas, fazia pinturas em telas em um barraco em que vivia. Pouco a pouco, com o dinheiro do emprego temporário e com a venda de algumas telas, acaba comprando um excelente apartamento. E assim vai vivendo como artista.

Enquanto isso, Priya segue com seu emprego como professora de um coral de crianças, mas acaba não se casando com Raj, embora eles sigam amigos.

Embora o final seja muito previsível, a pitada de dramalhão ainda consegue aparecer mais um pouco nos momentos finais. Mesmo assim, nada de especial acontece, nem mesmo de emocionante.

Depois de assistir ao filme, fui descobrir alguns fatos interessantes. Pra começar, o papel de Priya havia sido oferecido a Aishwarya Rai, que recusou e aceitou fazer Hum Dil De Chuke Sanam, que curiosamente acabou sendo um grande sucesso do ano (enquanto que Mann fracassou). Mann é "inspirado" no filme Tarde Demais pra Esquecer (O Grande Amor da Minha Vida, em Portugal), com Deborah Kerr e Cary Grant. A música "Tinak Tin Tana" foi plagiada da cantora Iwan, da Malásia, que abriu processo e venceu. A música "Nasha Hai Pyaar Ka Nasha" foi plagiada de "L'italiano", de Toto Cotugno. Outras quatro músicas da trilha sonora foram "inspiradas" de outras canções estrangeiras ou mesmo indianas.

Ah sim, e logo aos seis minutos de filme, o primeiro song-and-dance aparece e eis que a dançarina é Rani Mukerji, em aparição especial. E é isso.

Nem sequer encontrei trailer do filme, mas como vale sempre a pena compartilhar alguma coisa que seja, fiquem com a música Tinak Tin Tana, plagiada e vencedora de causa:



Colaborou: Sandra Bose

21 comentários:

Pedro disse...

Ibirá faz alista de filmes que você não recomendaria para mim!Esse filme não assitiria nem a pau

Pedro disse...

Falando em Sharmila Tagore eu tava vendo o trailer do eklavya: the royal guard fiquei curioso para asistir advinha qum tá lá nossa amada Vivi

Ibirá Machado disse...

Ah, eu posso até fazer a lista, mas é um tanto arriscado pq cada ser desse planeta tem um gosto... :S

Na verdade, dos que escrevi aqui no blog até hoje, somente esse e Gauri: The Unborn eu jamais recomendaria a alguém. Ah, e também não recomendo Madholal, Keep Walking. De resto, eu posso até não gostar de um ou de outro, mas recomendo mesmo assim pela importância que eles têm ;)

Haha, sim, eu já tinha visto que nossa amada Vivi estava nesse filme... e por mais que eu tente, ela será sempre minha Jhanvi, de Lage Raho Munna Bhai, que foi meu segundo filme indiano. Ops, terceiro.

Vinicius disse...

ai eu gostei da história Ibirá rsrsr poxa deve ser um amor lindo :)

fiquei com vontade de assistir rsrs

de verdade viu rsrs

Ibirá Machado disse...

Então assista, Vinicius! Não é porque eu não gostei, e a Índia também não, que você não vai gostar! Até porque as músicas, por mais plagiadas que sejam, até que são legais :)

Monique Rosa Brasil disse...

Que chatice! Prefiro Maria do Bairro mil vezes... e olha que parece melodrama mexicano mesmo.

Ibirá Machado disse...

Os mexicanos e os indianos hão de ter alguma ligação ainda desconhecida. Acho que deve haver alguma ponte misteriosa entre Chichén Itzá e o Taj Mahal... ;)

Ibirá Machado disse...

Ah, Pedro, lembrei-me de AAG, o filme pra nem ser lembrado! Ô filme ruim!

barbie-o disse...

Gostei da ideia de fazer um top de filmes não recomendados. Aceitas sugestões?

Ibirá Machado disse...

Hahahaha! Pode mandar! Vamos fazer o SUB20 do Cinema Indiano? :D

Vinicius disse...

KKKKKKKKKKKKK

Adorei a Novela Maria do Bairro assisti trêz vezes rsrs

vai ver é por isso que gostei do que você contou da hitoria do filme rsrs

sobre a lista eu bem que gostaria de ajudar vocês mais eu não posso pois todos que eu assisti eu gostei rsrsrs

Monique Rosa Brasil disse...

kkkkkkkkkkkkk
Vinicius, gosto não se discute, né?
Há uma conexão da Índia com o Mexico, sim.
sub 20 foi mara!

Carol disse...

Ia perguntar quem raios é Vivi :DDD

" Ela então vai correndo atrás de Dev, no dia marcado, mas, na pressa, acaba atropelada e tem as pernas amputadas."

Não sei se é maldade minha,mas eu ri dessa aí de cima!HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Nunca ouvi falar da mulher desse filme,não morro por Aamir e de repente seria legal ver o Anil.Ih,acabei de perceber que o "Anil" se chama "Anil".Uou!Eu nunca soube que raio de cor é anil.

Tudo tem um lado bom.Vamos pensar: Mann lembra Manfred Mann.Eu adoro Manfred Mann, então o nome do filme me traz uma boa lembrança.Ponto!

Só consigo lembrar do Dil Bole Hadippa! e daquele musical final cheio de Rani e Shahid molhadinhos(¬¬) pra colocar num eventual SUB20,mas não é um inferno a ponto de estar numa lista assim.Ainda assim,foi uma das minhas maiores perdas de tempo .-.

Ah, novelas mexicanas são meu amor eterno :O

Ibirá Machado disse...

A cor anil é um azul bem escuro e forte, e essa palavra veio justamente da Índia :)

Eu nunca me esqueço dessa cor, desde os tempos do Mundo de Beakman, que eu era viciado, quando aprendi a ordem certinha das cores do arco-íris: VLAVAAV (Vermelho, Laranja, Amarelo, Verde, Azul, Anil e Violeta) :D

Gente, como vocês podem gostar de novelas mexicanas? Ok... eu confesso que gostava de Carrossel... :S

Vinicius disse...

Nossa minha irmã amava carrossel rsrs eu já gostava de Maria do Bairro, Luz Clarita, A Usurpadora, Diario de Daniela e mais algumas rsrs

mais a Melhor mesmo foi MDB

Iseedeadpeople disse...

Anil é o nome do meu sogro rsrsrsr.

E eu sou a única pessoa da face da Terra que acha o Anil Kapoor um gato. =)

Iseedeadpeople disse...

Eu sou tão antiga q novela mexicana p mim é sinônimo de Cristina Bazan, Punk a levada da breca, e Eu não acredito nos homens. :P

Ibirá Machado disse...

Ih, mas eu acho que a Carol também tem a mesma opinião que você sobre o Anil...

Profª Sandra disse...

Guarde o filme pois daqui ha uns 30 anos quando Aamir Khan bater as botas, este filme arcaico vai virar reliquia e voce podera vende-lo em um leilao da Christi hehehehehehe

O filme so vale mesmo pra dar risada das roupas cafonas do Aamir e pra mais uma vez mostrar ao mundo como os indianos NAO tem creatividade e copiam tudo, enredo, musicas etc.
Nota ZERO

Lívia disse...

O filme original eu já assiti Tarde Demais pra esquecer, lindo, triste, romântico e com a famosa cena no Empire States lembrada na maioria dos especiais sobre cinema americano e a música um clássico. Eu também não gosto de cópias descaradas assim, sorte da Aishwarya que escapou desse filme, eu fiquei pensando como deve ser dificil um ator escolher um roteiro ou filme para fazer e quando escolhe pode ocorrer isso um filme que eles tem vontade de apagar da filmografia de tão ruim ou mal feito que pode até prejudicar a carreira, mas são os ossos do oficio. E acho que quando um ator bom como Aamir faz um filme ruim nos próximos ele se esforça ao máximo pra ter credibilidade e sucesso. OBS: eu tenho que confessar que faço parte do time que adora uma novelinha mexicana hahahahahaahahah e compartilho da opinião que há mais coisas em comum entre o céu e a terra com mexicanos e indianos que podemos imaginar.

Isa disse...

Eu assistia a novelas mexicanas também. Demais até. Mas o filme parece ser chatinho.

E eu também acho o Anil Kapoor um cat.

Kali nagin ke jaisi zulfein teri kali kali (8)