quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

SEL - Shankar-Ehsaan-Loy - शंकर-एहसान-लोय


Já falei algumas vezes sobre esse trio, mas, coitados, até agora eles não tinham recebido uma postagem digna da importância que eles têm. O trio SEL, ou Shankar-Ehsaan-Loy, é um dos maiores criadores de músicas do cinema indiano, e um dos mais premiados.

A história do trio, segundo está no próprio site oficial do grupo, remonta aos idos dos anos 80, quando cada um levava sua própria vida de indiano (quase) comum. Shankar Mahadevan estava ocupado com sua profissão de engenheiro, Ehsaan Noorani tocava suas músicas ocidentais na Califórnia, e que não faziam sucesso na Índia, e o Loy Mendonsa, bem, o Loy não fazia nada exatamente.

De repente eis que os Deuses disseram: "Agora é a hora". E o recado chegou aos ouvidos de Shankar, que de repente começou a cantar. Imagino ele cantando no escritório de engenharia, ou enquanto fiscalizava alguma obra, enfim, não importa. Ehsaan também recebeu o recado e cansou da Califórnia. Voltou pra Índia. E o Loy, que nada fazia mesmo, recebeu a incumbência divina de compor - e pra quem entende, compor leva tempo, perfeito pra um não-faz-nada. E então a manobra final foi executada pelo diretor Mukul Anand, que resolveu unir os três para que eles fizessem as músicas de seu filme Dus (1997). Mas acho que o encargo divino foi tão grande que Mukul morreu durante as filmagens. O filme, que contava com Sanjay Dutt e Salman Khan, jamais foi concluído, mas sua trilha sonora foi lançada ainda enquanto o filme era produzido, como é de praxe em Bollywood. Foi o suficiente pro trio SEL ser lançado ao sucesso, principalmente com a música Hindustani. E assim a manobra divina estava concluída - o grupo Shankar-Ehsaan-Loy acabara de nascer.

O que de imediato destacou o trio foi a capacidade deles de misturar não só tradições musicais internas à Índia, como a música hindustani, do norte, com a música carnática, do sul, mas sobretudo por juntar isso às influências ocidentais que constantemente chegam à Índia. Disso saiu uma música única que ainda poucos conseguem se aproximar.

A partir de então, eles encabeçam a trilha sonora de uma lista de 33 filmes, dentre os quais Mission Kashmir (2000), Dil Chahta Hai (2001), Kal Ho Naa Ho (2003), Bunty aur Babli (2005), Kabhi Alvida Naa Kehna (2006), Don (2006), Salaam-e-Ishq (2007), Heyy Babyy (2007), Taare Zameen Par (2007), Rock On!! (2008) e Chandni Chowk to China (2009). Mais sete filmes com músicas do trio já estão no prelo para este ano. E embora eles estejam quase 100% ocupados com filmes de Bollywood, suas músicas poderão ser ouvidas também no filme Conchu Ishtam Conchu Kashtam, a ser lançado este ano por Tollywood, o cinema telugu, e no filme Yavarum Nalam, de Kollywood, o cinema tamil.

E a qualidade das músicas rendeu ao grupo diversos prêmios e um outro belo tanto de indicações. Os prêmios já conquistados até hoje pelo grupo são: Melhor Direção de Música para Kal Ho Naa Ho (2003), pelo Filmfare Awards e pelo National Film Awards; Melhor Música para Bunty aur Babli (2006), pelo Filmfare Awards e Melhor Direção de Música para Dil Chahta Hai (2001), pelo Screen Weekly Awards. Shankar Mahadevan já levou também o prêmio de Melhor Cantor de PLayback pelo National Film Awards, pela música Illai Illai, Sola Oru Kananum Ponthum, do filme tamil Kandukondain Kandukondain (2000).

Como as músicas raramente são escritas pelo trio, mas sim compostas, não entra aqui os prêmios que já foram entregues às melhores letras de música. Para escrever suas músicas, o grupo costuma chamar Javed Akhtar (prêmios por Kal Ho Naa Ho e Dil Chahta Hai), Gulzar (prêmio por Bunty aur Babli), Sameer e Prasoon Joshi (prêmio por Taare Zameen Par).

No entanto, se por um lado há uma veneração pelas músicas do trio SEL, na realidade eles são também adorados por sua preocupação social e ativista. Por diversas vezes o trio já se reuniu por campanhas das mais variadas, desde apenas para levantar fundos por alguma causa, até fazer músicas de incentivo e alerta. Um dos exemplos recentes é a campanhado jornal Times of India, chamada India Poised - Our Time is Now, ou alguma coisa como "Índia Preparada - Nossa Hora é Agora". A música que virou hino da campanha é do trio e pode ser conferida aqui. Nem é preciso de muito pra imaginar do que fala a letra da música, que dá incentivos à população indiana a lutar pelo futuro do país, e principalmente de se ajudarem entre si.

Aliás, falando nisso, com a mesma música foi feito um outro clipe que mostra de maneira muito eficiente o descomprometimento dos indianos frente aos problemas do dia a dia. Neste vídeo, que vocês podem ver aqui, há uma árvore caída no meio da rua, obstruindo o trânsito, e ninguém faz nada. De repente começa a chover e, mesmo na chuva, um menino resolve tomar uma atitude e tenta, em vão empurrar a árvore. Mas sua atitude deixa os outros à sua volta envergonhados e então eles vão também ajudar o garoto. E finalmente, juntos, eles removem a árvore (uma nova postagem foi feita sobre esse vídeo do menino empurrando a árvore; clique aqui e veja).

Também teve a campanha para salvar o meio ambiente voltada às crianças, cujo mote foi este simpático vídeo com música do trio. Embora a Índia seja enorme, sobretudo em termos populacionais, e embora saibamos que tem certas questões que eles teimam demasiadamente em mudar, eu tenho sempre uma esperança que, pouco a pouco, alguma coisa vai mudando.

Enfim, e esses são o SEL. Acho que deu pra perceber que eles fazem a diferença e merecem nosso respeito, não?

2 comentários:

barbarella disse...

E não é que eu gostava deles e não sabia?

Ibirá Machado disse...

Pois não me admiro! Eles são bons mesmo!

E agora que me lembrei que esqueci de falar de alguns dos prêmios que eles ganharam. Vou atualizar a postagem...