domingo, 28 de junho de 2009

Jodhaa Akbar (2008) - जोधा-अकबर - جودھا اکبر

-

Nesse último sábado, na novela da rede Globo Caminho das Índias, alguns personagens foram ao cinema na Índia assistir ao filme Jodhaa Akbar. Foi então que lembrei que assisti a esse filme ainda quando estava na Índia e que até hoje não tinha feito uma postagem sobre ele - e olha que é um dos meus filmes favoritos de Bollywood!

Bom, pra começar, Jodhaa Akbar é quase um épico que conta mais ou menos a história real da paixão do imperador mogol Jalaluddin Muhammad Akbar, muçulmano, por Hira Kunwari (posteriormente chamada de Jodhabai), uma princesa hindu, filha do marajá de Amber (atual Jaipur), em 1562. É dirigido por Ashutosh Gowariker, o mesmo que dirigiu Lagaan e Swades. Akbar é ninguém mais que Hrithik Roshan e Jodhaa é a fabulosa Aishwarya Rai. E pra completar, a música é do mestre A.R. Rahman. Ou seja, tudo pro filme ser realmente bom.

Ah sim, e essa produção é uma das mais longas já feitas em Bollywood, com 3 horas e 31 minutos de duração (onze minutos menos que Lagaan, do mesmo Ashutosh).

Além disso, Akbar construiu a cidadela de Fatehpur Sikri, perto de Agra, que foi um dos lugares na Índia em que mais fiquei encantado quando visitei. Ela foi ocupada por apenas 12 anos e em seguida abandonada devido à seca, mas permanece intacta, 400 anos depois. De Jodhaa e Akbar nasceu Jahangir, que sucedeu seu pai no Império Mogol e que, por sua vez, foi sucedido por seu filho Shahjahan, que acabou por entrar na história pela construção do Taj Mahal, uma das atuais 7 maravilhas do mundo. E Shahjahan é, por sua vez, bisneto de Humayun (pai de Akbar), que reinou em Delhi e reside hoje sob a mais bela tumba da atual capital da Índia.

Mas como toda história tem seus mistérios e invenções (quem conta um conto aumenta um ponto, não é?), a própria existência de Jodhaa é controversa. Pra começar, o nome Jodhaa, ou Jodhabai, jamais apareceu em qualquer documento que fosse da época. Ao que consta, apareceu muito tempo depois, em contos recentes sobre o imperador, que é venerado até hoje por muitos. O fato é que ele casou-se mesmo com Hira Kunwari, posteriormente rebatizada com o nome muçulmano de Mariam-uz-Zamani Begum Sahiba, após um acordo diplomático com o marajá de Amber. Mas como esses acordos eram comuns na época, incluindo casamentos como forma de aliança, essa história de Mariam-uz-Zamani e Akbar é apenas mais uma. A cena piora ainda mais quando sabemos que ela era apenas mais uma do harém de Akbar.

Ou seja, dizer se Jodhaa realmente existiu e se ela era Mariam-uz-Zamani é uma tarefa em verdade impossível de ser confirmada. Mas nada disso tira a beleza do filme, que não deixa também de ser uma ficção. Ashutosh confessou que 70% da história do filme é obra de sua cabeça.

Logo no começo do filme, o pequeno Akbar assiste a sangrentas batalhas e é coroado imperador de um dos maiores impérios do planeta até então. Através de um acordo com o marajá Bharmal, de Amber, Akbar acerta o casamento com Jodhaa. Todo esse momento pré-nupcial é todo recheado de desafios a ambos, o que inclui uma cena ímpar em que Akbar deve descobrir quem é Jodhaa entre várias - se descobrisse ele poderia então casar com ela. E, na verdade, os desafios prosseguem mesmo depois do casamento.

A forte personalidade de Jodhaa faz Akbar sentir-se muito desafiado. Mas é justamente com esse desafio que ele mergulha na paixão - e é isso que o filme explora do começo ao fim. Pra começar, ela própria coloca como condição ao casamento a permissão de ela seguir hindu e devota de Krishna, o que significaria levar ao palácio de Akbar uma estátua do deus hindu. E numa cena do filme, quando Akbar entra em seu quarto, nota que suas araras haviam sido soltas da gaiola, certamente pela condolida Jodhaa.

Mas como nem tudo são flores, Jodhaa enfrenta fortes resistências no reino de Akbar, e até mesmo rejeição. Ela passa a encontrar-se secretamente com seu irmão, mas Akbar descobre e fica furioso, na verdade por ciúmes, não sabendo quem era aquele homem misterioso com quem Jodhaa se encontrava.

O filme desenrola-se com todos esses entreveros, mas não cansa. A beleza dos figurinos, dos cenários, das músicas e das coreografias mantém a nossa atenção na obra. Aliás, a coreografia de Azeem-o-Shaan Shahenshah é simplesmente fantástica (essa música ficou famosa por fazer parte da trilha sonora indiana de Caminho das Índias). E Aishwarya e Hrithik estão absolutamente excelentes em seus papéis.

Na premiação do Filmfare Awards desse ano, Jodhaa Akbar levou o prêmio de melhor filme, além de melhor diretor pra Ashutosh Gowariker, melhor ator pra Hrithik Roshan, melhor escritor de música para Javed Aktar e melhor edição de som para A.R. Rahman. No total, o filme já soma onze prêmios, dentre eles o de Melhor Filme Estrangeiro votado pelo público na 32ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (2008). Aliás, no site oficial do filme, esse último prêmio aparece em destaque na página de abertura, dada a importância que nosso festival tem hoje para o cinema.

Para a produção do filme, que custou algo em torno de 15 milhões de reais, foram usados 80 elefantes, 100 cavalos e 55 camelos para cenas de guerra e cerimônias reais. Na coreografia de Azeem-o-Shaan Shahensha, cerca de mil figurantes foram utilizados, todos com figurinos de época, cuidadosamente detalhados e confeccionados. E Ashutosh é tão preocupado com os pequenos detalhes, que além de ter contratado uma grande equipe de historiadores, exigiu que as joias utilizadas no filme fossem todas de ouro de verdade, e não bijuteria. No total, mais de 400kg de ouro foram usados. E na minha opinião, até mesmo a trilha sonora, de A.R. Rahman, é uma das mais bem cuidadas e bonitas que já vi em Bollywood. Também pudera, Akbar era seguidor da linha Sufi no Islamismo, a mesma que segue Rahman, e essa influência pode ser notada em algumas músicas.

Na Índia, Jodhaa Akbar foi um sucesso. No entanto, devido às polêmicas ligadas aos fatos reais ou não reais da história de Jodhaa e Akbar, aliada à rígida intolerância religiosa indiana, os estados de Uttar Pradesh, Rajastão, Haryana e Uttarakhand proibiram a exibição desse filme em seus territórios, como forma sobretudo de evitar problemas mais graves de ataques terroristas a salas de cinema que exibissem essa obra- que chegou a ocorrer em poucos casos.

Abaixo veja o trailer do filme:



48 comentários:

barbarella disse...

"Quase um épico", Sr Ibirá? :)

Esse filme é tão demorado que eu tive de ver em dias separados. Controvérsias à parte, é um filme muito bonito, gostei bastante.

Ibirá Machado disse...

Mas um épico se define por sua duração?... :p

barbarella disse...

Não. Eu é que não arranjei modo de separar as ideias contidas nas minhas duas primeiras frases... coloquei uma linha em branco, mas acho que não bastou :P

Ibirá Machado disse...

Hahaha... é que a linha em branco é tão subjetiva que a mim deu a entender que você quis é dar ainda mais ênfase ao que dizia na primeira linha, complementando com a segunda... hahaha

Profª Sandra disse...

Ter ido a Fathepur Sikri apos ter assistido Jodha Akabar foi uma emocao em dobro. Eu AMO aquele lugar!

Ibirá Machado disse...

É mesmo emocionante :)

Anônimo disse...

Pamela
aaaaeu queria tanto assistir esse filme,os filmes de bollywood podiam ser em portugues,quero fazer download do filme e das legendas se eu achar.

madhu disse...

Em português não encontrei, mas está disponível com legendas em espanhol. Baixei para minha mãe deste jeito. Tem 2.14GB Pode ser? Basta pesquisar pelo torrent com legendas em "Spanish" e você poderá baixá-lo já com as legendas.

O Filme: É BELÍSSIMO!!!!!! Super produção, eu adorei! Vejam!

Obs: Acho que Barbarella quis dizer que seria mais um "épico", por lembrar estes filmes Épicos, que trazem nas estórias, batalhas que marcaram significantemente um momento histórico, com graaaaandes batalhas, tipo nos filmes: "A cruzada", "Trezentos", "Alexandre o grande", etc. Todos produzidos com uma quantidade imensa de figurantes e muitos efeitos de computação gráfica nas batalhas gigantescas (tanto como no número de pessoas e na duração das cenas de batalha no filme). Uffa!! hehe

Ibirá Machado disse...

Haha... a Barbarella quis dizer que é sim um épico, e não "quase um épico", como eu afirmei no meu texto...

Pedro disse...

adorei o filme.

Pedro disse...

adorei o filme.

Priscila disse...

Gente vi esse filme ontem e fiquei me perguntando por que ainda não tinha assistido...e por que não tem filmes como esses nas locadoras???? :O


O filme é bem produzido, as músicas são convenientes e lindas, a história é bonita e o Hrithik Roshan....ai ai...rss

Beijos!

Ibirá Machado disse...

Sinceramente? Eu acho que esse filme vem pra cá em breve! ;)

Carol disse...

Você acha mesmo que vem pra cá?Por que,hein? o.o É uma promessa:se o filme vier,eu o assistirei no mínimo duas vezes no cinema.Prometido,u-hul.

Gente,esse filme é bonito demais.Nunca vi um filme me prender durante mais de 3 horas só pelo amor que une os protagonistas.Eu lembro que numa cena no meio do filme,eu comecei a chorar porque o amor é bonito.Detalhe:eu sou séria demais(apesar de não parecer aqui¬¬) e não creio muito em amor fora dos filmes.Esse filme é bonito demais.

Sobre a trlha...uau.Sou muito,muito fã do A.R. Rahman - tudo por causa de Lagaan.Em Jodhaa,ele só confirmou o talento gigantesco que eu já sabia que ele tinha.Às vezes eu lia por aí alguém dizendo para as pessoas ouvirem mais dele porque ele era muito mais que Slumdog e eu achava exagero(a famosa "síndrome de underground"),mas quem disse isso está totalmente certo.Slumdog não é nada perto de uma trilha genial como a de Jodhaa."Jash-e-bahaara" é de uma "leveza" sem igual.

Que bonito,que alegria,que beleza.

Ibirá Machado disse...

Carolina, veja bem, esse filme virá. E tenho dito!

Soraia disse...

Tentei fazer um comentário para esse filme e sabe-se lá porque não entrou na página (Ibirá, que será que aconteceu?). Bem, eu tentei dizer exatamente o que a Carolina falou. O filme é absolutamente fantástico. A fotografia, o vestuário, a caracterização, a interpretação dos atores (e também são lindos....), a música, enfim, tudo é fabuloso. Como a Carolina disse, é difícil um filme prender a gente sendo tão longo. Pois esse filme consegue fácil, fácil. E a cena dos Sufis? Meu Deus do céu, o que é aquilo? Sublime...

Ibirá Machado disse...

Oi Soraia, poxa vida! Eu não recebi comentário nenhum, pois se tivesse recebido logicamente que teria aprovado! Agora ele está aí, sem erros! ;)

E sim, minha nossa, a minha cena preferida é a dos sufis... :D

Claudio Velozo, O Único, O Original disse...

Gostaria de adquirir este filme alguma loja do Brasil que está vendendo???
amigorecife_pe@hotmail.com

Ibirá Machado disse...

Olá Cláudio, infelizmente esse filme não pode ser encontrado em versão oficial aqui no Brasil. Há, no entanto, quem o disponibilize através de cópias.

Entre no blog "Filmes Bollywood", com o link disponível na coluna aqui ao lado, e veja se consegue com ele, pois sei que ele vende.

Abraços e boa sorte!

Soraia disse...

Olá Ibirá! Eu tenho uma dúvida, veja se você pode me ajudar. Numa cena do filme Jodhaa Akbar, disseram ao imperador que os indianos haviam aceitado Jallaludin em seus corações e, por isso, deram ao imperador o título de "Akbar". Revirei a internet atrás de um dicionário on line de hindi e não achei em nenhum a palavra Akbar. O que significa esse termo, você sabe?
Inclusive, que sites de dicionário on line de Hindi você indica ou usa?
Um abraço!
Obs. Ah, eu seeeempre estou lendo seu blog - ADORO!!!

Ibirá Machado disse...

Oi Soraia, em princípio, a palavra "Akbar" não vem do hindi, mas do urdu, e significa "O Grande". Mas pelo que li por aí, o Jallaludin já nasceu com o nome Akbar, originário de seu avô. Ou seja, no caso dele, Akbar é sobrenome, e não título, embora, obviamente, ele tenha sido extremamente venerado como Akbar no sentido de O Grande.

E obrigado pela sua presença! :D

barbie-o disse...

Soraia, encontrei esta informação na Wikipedia: "Akbar was originally named Badruddin Akbar, because he was born on the night of a badr (full moon). After the capture of Kabul by Humayun his date of birth and name were changed to throw off evil sorcerers. [21] Contrary to some popular traditions, the name Akbar - meaning "Great" - was a not an honorific given to Akbar; rather he was named for his maternal grandfather, Shaikh Ali Akbar Jami".
Creio que Akbar é uma palavra de origem persa ou árabe, não Hindi.

Ibirá Machado disse...

Thanks, barbie :)

barbie-o disse...

Ups... coloquei o meu comentário sem ver o teu :P
É o poder da redundância...

Ibirá Machado disse...

Koi baat nahin ;)

Soraia disse...

Ibirá e Barbie, obrigada pelas respostas!

Aeoliah disse...

Simplesmente Magnífico!!!

Anônimo disse...

Nossa que maravilha, bem que eu desconfiava desta música, quando a ouvi pela primeira vez, na novela é claro, eu associava, com uma história parecida,um Rei no caso aqui imperador, e uma mulher aqui no caso uma princesa e exercito guerra, tudo haver com o filme, não conheço muita coisa da India, mas minha associação mental com estas imagens foram corretas.
Acho que é de outras vidas, nossa!!!!

Ibirá Machado disse...

Eu diria que não só pode ser coisas de outra vida, como A.R. Rahman provou ser extremamente eficiente em suas músicas, ao conseguir transmitir tão bem o sentimento desejado! ;)

Coccix disse...

ahh. é um dos melhores filmes que eu já vi... sem dúvidas.
ahh, e que blog maravilhoso!!

Ibirá, você poderia indicar mais filmes nesse estilo?

Ibirá Machado disse...

Coccix, muito obrigado pelo comentário! Olha, nos tempos recentes, praticamente não foram feitos filmes épicos como esse, de verdade. Existem dois filmes em produção que, acredito, serão épicos no nível deste.

No passado, porém, houve vários. Mughal-E-Azam, por exemplo, é como se fosse uma continuidade de Jodhaa Akbar. Mas há mais. Eu te reocomendo dar uma fuçada nos filmes já indicados no blog Grand Masala, que já trouxe vários bons exemplos de filmes antigos.

;)

barbie-o disse...

Ibirá, fico muito agradecida pela publicidade.

Acho que quem gostou deste também deve gostar de Asoka e de Lagaan.

Ibirá Machado disse...

Barbie, não precisa agradecer!

Eu bem tinha pensado em citar esses dois filmes, mas não pensei que eles pudessem exatamente se encaixar no mesmo nível de Jodhaa... Asoka poderia ter sido algo grandioso, mas não tem a beleza que tem essa obra de Gowariker... mas enfim, de fato são também filmes a serem vistos!

barbie-o disse...

A sério? Eu acho Asoka um filme sublime, super emocional.

Coccix disse...

ahh, muito obrigada a vocês dois ^^
vou baixar esses filmes :D
estou realmente gostando de filmes indianos *-*

Anônimo disse...

So tenho uma palavra para descrever o filme LINDO.
E Apos algum trabalho consegui as leguendas, assim sendo vi-o 3 vezes sem pensar na duração do mesmo.
ASS: Carla
(Açores/ilha de S.Miguel)

Ibirá Machado disse...

Lindo, né? Pois quando eu soube que o filme tinha 3h30 eu levei um susto, pq juro, juro que não percebi tudo isso passar!

Anônimo disse...

Helpful blog, bookmarked the website with hopes to read more!

Anônimo disse...

Não consigo baixar o filme em português ou espanhol, alguém poderia me ajudar?

Anônimo disse...

Nossa... Havia visto um vídeo do filme, mas não sabia o nome do mesmo para procurá-lo, mas através de você, encontrei, rsrsr! Agradeço muito! Consegui o filme e assistimos, a família toda reunida, rsrs! Adoramos!!! Hrithik Roshan...(Baguan keliê!!!) Bollywood faz parte da nossa familia, hehehe. É uma pena a pouca divulgação dos filmes cá no Brasil. Parabéns pelo trabalho. Abraços.

Leonice disse...

Oi pessoal,assisti semana passada o filme Jodha Akbar, estou sonhando até hoje.Para mim,não tem falha e deslumbrante, e também o ator parece um deus Grego!!!!Tem dia que assisto-o 2 x.Eu gostaria muito de ver uma foto dos verdadeiros Imperadores,será que são tão lindos quanto os atores?Li que Jodha não passou de + uma no harem de Akbar.Não gosto de ler estas coisas,destroem meus sonhos.Obrigada. Leonice Queiroz

Anônimo disse...

Quero muito adquirir este filme....quem tem pra vender em português?
Grata.

Rebeca dos santos disse...

Você conseguiu ver em português?!

Rebeca dos santos disse...

Por favor eu gostaria de ver em português nem q seja legendado me ajuda aonde posso conseguiur

Rebeca dos santos disse...

Por favor eu gostaria de ver em português nem q seja legendado me ajuda aonde posso conseguiur

Rebeca dos santos disse...

Você conseguiu ver em português?!

Fernanda disse...

Não consegui acha legendado em português. Estou vendo no original, mas não entendo.

Fernanda disse...

Não consegui acha legendado em português. Estou vendo no original, mas não entendo.