terça-feira, 25 de maio de 2010

Love Aaj Kal (2009) - लव आज कल

-

E já que falamos da brasileira Giselli Monteiro no domingo, já era em tempo de falarmos de seu primeiro filme em Bollywood, Love Aaj Kal, que estreou no dia 31 de julho de 2009. Dirigido por Imtiaz Ali, o filme traz como protagonistas Saif Ali Khan e Deepika Padukone, e Rishi Kapoor e Giselli Monteiro como coadjuvantes.

E a história é mais ou menos assim: Jai (Saif Ali Khan) e Meera (Deepika Padukone) são indianos moderninhos que vivem em Londres, se conhecem numa balada, viram namorados, mas nenhum dos dois abre mão da carreira a favor do relacionamento. E então chega o esperado: Meera recebe uma proposta pra ir trabalhar no restauro de construções antigas em Delhi. Fica claro pros dois que Jai não irá com ela, pois seu sonho é ir trabalhar em São Francisco. Então eles decidem que irão se separar e, sendo desse jeito tão amigável, realizam uma festa de separação com os amigos.

E lá vai Meera pra Índia. Desde o aeroporto, ela e ele não param de se comunicar, seja por sms, seja ligando, seja por email... e então não tarda pra que o chefe de Meera, Vikram (Rahul Khanna), dê em cima dela, e ela cede. E tudo isso é totalmente compartilhado com Jai.

Bom, e antes de continuar essa parte da história, devo aqui resgatar uma outra história paralela que é contada ao longo do filme. Quando Jai e Meera se separam, Jai conhece Veer Singh (Rishi Kapoor), um velho sikh, que conta a ele a sua grande história de amor, vivida na década de 60, na Índia. E então ficamos sabendo que Veer era um jovem rapaz muito semelhante a Jai em personalidade (e o ator que faz Veer jovem é o próprio Saif), mas que se encanta por Harleen (Giselli Monteiro). A história deles dois desenrola-se da maneira mais pura e como tinha que ser antigamente, mesmo, ou seja, basicamente e somente por olhares, nada além disso. Qualquer avanço além disso seria uma catástrofe social. Mas eis que chega um dia em que Harleen e sua família se mudam de Delhi para Calcutá. Mesmo não tendo condições alguma, Veer consegue pegar um trem e vai também a Calcutá atrás de seu grande amor.

E então essa primeira parte é contada a Jai por Veer, dizendo a ele para que ele não deixasse Meera ir, ou que fosse junto dela, enfim. Mas Jai acha tudo isso muito ridículo. Logo ele começa a namorar uma estrangeira, chamada Jo. Ela então pede a Jai para ir à Índia, e lá vão eles. Lá, então, Jai visita Meera, que fica obviamente muito feliz. Mas no final da viagem, Meera conta a Jai que ela havia sido pedida em casamento por Vikram. Jai fica visivelmente arrasado, dizendo ser essa uma segunda separação.

Ele volta a Londres, termina com Jo e finalmente consegue seu emprego em São Francisco. Aqui, então, Veer continua sua história e diz que, já em Calcutá, descobre que Harleen estava noiva, fato que nem ela sabia. Ela pede a ele para ir embora, porque senão as coisas ficariam insustentáveis. Veer, então, usa sua própria história pra mostrar que, embora em períodos diferentes, o amor reage basicamente da mesma maneira; daí o título, que pode ser traduzido literalmente pra "Amor ontem e hoje", ou "Amor hoje e sempre". E então vou guardar o gostinho desse momento pra vocês assistirem o filme e descobrirem que desfecho ambas as histórias tomam.

O filme é razoavelmente simples, mas bem gostoso de se ver. Tem toda aquela boa dose de inverossimilhança básica, mas como sempre digo, isso nem importa. Saif e Deepika estão absolutamente ótimos em seus papéis. Giselli, em verdade, não teve muito espaço pra explorar sua personagem, mas considerando que é o primeiro filme de sua carreira, não está nada mal. Eu li por aí que a escolha dela foi um feliz acaso no caminho de Imtiaz, que simplesmente não conseguia encontrar o rosto ideal pra representar uma garota punjabi da década de 60. Ele disse ter rodado a Índia fazendo testes, até que sem querer Giselli apareceu e ele achou o rosto dela perfeito. Feliz acaso pra ela, também!

Ela tem poucas frases ao longo do filme, mas que foram todas decoradas - ela não falava hindi quando filmou Love Aaj Kal. E também é perceptivo que ela não tinha experiência com dança, como vemos no clipe Thoda Thoda Pyar (clipe com legendas em português). Mesmo assim, eu devo defendê-la e dizer que ela conseguiu dar conta do recado, na minha opinião, ao contrário do que alguns indianos aqui e ali disseram. E já que citamos uma música, vale também dizer que a trilha deste filme foi composta por Pritam, sendo ele indicado ao Filmfare de melhor direção de música. Embora não tenha levado o prêmio, é mesmo uma trilha primorosa.

E chega de papo. Confiram o trailer e vejam o filme.

-

18 comentários:

Carol disse...

"O filme é razoavelmente simples, mas bem gostoso de se ver."

Perfeito, perfeito,perfeito!

Eu deveria estar estudando Estatística, mas tive de vir aqui falar do nosso Love Aaj Kal. Acho esse filme um doce, um sorriso rápido, um ventinho de fim de tarde.Quando terminei de ver fiquei eufórica e já o proclamei como um dos meus filmes favoritos, e hoje percebo que foi devido às cores, às roupas da Meera e principalmente por causa da trilha. Gente, estou pra ver melhor música pra te deixar animado em fim de filme do que a minha mágicalindaamoo Aahun Ahahun(que tive que ouvir agora).E Thoda Thoda Pyar, toda doce e com aqueles sons perfeitos?E Twist, aquela junção de sons sensacionais, toda moderdinha?E todo o resto?Céus,amo essa trilha!Bollywood despertou meu lado pop de ser.

A Isa reclama que prefere o Saif machão, mas gosto muito dele mostrando esse lado sensível.Amo ver o Jai confundido por estar sentindo algo que não condiz com o modo como viveu até o momento, amo a Meera entendendo isso mais cedo e sabendo que o tempo do Jai seria mais lento que o dela.Gosto muito quando ele vai para São Francisco e só percebe tudo lá.Não teria sido a mesma coisa se ele tivesse percebido que era amor sem ter experimentado tudo o que ele acreditava querer na vida.Foi mais real assim.

Eu vi Love Aaj Kal sem ter idéia de que a Giselli era brasileira(só fui descobrir no meio do filme), então posso dizer que ela é bem ruinzinha...tanto que só descobri a nacionalidade da menina por ter achado sua atuação tão ruim que pausei o filme para ir descobrir quem era.Depois que você descobre sobre ela, o fato de ser estreante e brasileira pesa mais do que a atuação.

Ei, legenda em português da Gigi dançando: http://www.youtube.com/watch?v=mjwyuZNUhdo

^
|

(olha a sensibilidade da criança, ui (h) )

Enfim, eu gosto muito desse filme.Hoje em dia ele é mais especial pra mim porque já conheço o Rishi e a Neetu, meus bonitinhos :)

Aaaaah, última homenagem: Chor Bazaari é uma das melhores músicas de um dos melhores clipes do mundo!E quero a roupa da Deepika nele!

Tá, calei.

Vinicius disse...

Ibirá esse é o segundo filme que você posta aqui no blog que eu já assisti antes hehe!

muito bom esse filme eu gostei muito dele e da historia dele tanto no passado do Veer como no presente do Jai e Meera!

bem a Gisele em minha opinião não dança nada bem! mais pra quem nunca tinha dançado esse tipo de dança tá muito bom rsrs

a trilha é maravilhosa mesmo Carol! adoro e Chor Bazaari é a melhor!

Ibirá sua postagem ficou ótima! adorei! eu jamais iria conseguir ver um filme e falar dele assim com tanta perfeção rsrs

Parabéns!

Ibirá Machado disse...

Carol, você falou das músicas e percebi que não tinha falado nada delas. Já atualizei no último parágrafo, gracias! E obrigado também pelo link de Thoda Thoda Pyar, já troquei ali. :) E obrigado por todo o comentário! :D

Vini, mas nós vamos por uma via de mão dupla. Eu de vez em quando falo de filmes que você viu, e você de vez em quando vê filmes que eu falo! :D E super obrigado a você também, Vini :)

Juzé disse...

Ainda não vi o filme,mas certamente vou ver.Ja estou com curiosidade.

Ibirá Machado disse...

Assista e depois conte pra gente, Juzé! :)

Isa disse...

Gostoso de ver?

Nenhuma ação tem explicação lógica, não vinda do Saif-Jai. O cara é um completo tapado, e a Deepika me deu nos nervos. A única história fofinha é a do outro casal, mas mesmo assim...

Filme fraco, muito fraco.

Isa disse...

E, Carol, em todos os filmes em que o Saif tá machão, ele demonstrou uma sensibilidade 30 vezes maior que a desse Jai, quando caiu em si. Prefiro ver o cara cair em si depois de ser machão, não desse jeito. :P

Isa disse...

Ah, e Chor Bazaari é gostosa mesmo. :D

Ibirá Machado disse...

É, assim são as artes e tudo mais na vida, vai pelo subjetivo interno e adquire retornos dos mais variados! Obrigado, Isa! :)

barbie-o disse...

Olha, eu ainda não vi o filme mas vou ver porque adoro histórias românticas :)
A Giselli dança mesmo mal, tadinha, mas tendo em conta que ela não é indiana nem estava familiarizada com as coreografias usadas normalmente em cinema, até esteve muito bem!

Ibirá Machado disse...

E ainda li que o Imtiaz queria mais tempo para ela treinar as coreografias e ficar boa, mas a agenda era apertada e não deu. Então por isso acho que ela merece um desconto, sim :)

Carol disse...

Nessas opiniões minha e da Isa que a gente percebe a coisa da identificação, vejo algo de mim em Love Aaj Kal.

O filme é meio confuso mesmo, eu estava quase tonta quando vi.Mas vocês percebem que depois que Jai começa a se dar conta das coisas, parece que o filme começa a ficar mais lento?Foi aí que me apaixonei mesmo...porque pra mim o filme daquele jeito rápido, sem sentido aparente em muitos momentos e até mesmo superficial representa bem o amor de hoje, até mesmo o jeito como vivemos hoje.Reparem que Jai e Meera namoraram por dois anos(acho) e ele fica meio confuso quando ela vai, parece que tudo foi muito rápido apesar de ter sido muito bom.Enquanto a história de Harleen e Veer aparece no filme, o ritmo fica lento e cada palavra é importante: o amor antigo, o tempo antigo.Já mais pro fim o Jai vai se dando conta de que tem sentimentos, então a história do "hoje" vai ficando mais tranquila também...como a do "ontem".Aí a gente vê que o amor é o mesmo.

Me identifico muito com isso por ter vivido no ritmo do "ontem" até o 3° ano e repentinamente ter caído no "hoje" quando entrei na faculdade(onde estou neste momento :D)...com o Jai foi ao contrário.

Sim, eu viajo.

Ibirá Machado disse...

Viajar faz bem e a gente gosta, Carol.

Então, eu tava achando tudo muito besta e estranho no começo do filme. Realmente tudo muito rápido, parecendo super mal construído e tal. Mas conforme o enredo avança, as coisas vão se amarrando e fazendo sentido, exatamente como você falou.

Continuo dizendo que o filme é simples, porque é mesmo, mas no final - e pra quem gosta do tema - ele acaba fazendo sentido e acaba sendo gostoso.

Luísa Borges disse...

Tenho vontade de ver só pelo Saif!Ele é um Deus kkkkkkkkkkkk
Adorei ele em salaam namaste.

Voltando ao filme,queria ver a Giselli atuando,ela é uma brasileira,ou seja nos representa!

Carol esse negócio de se identificar com o filme,foi assim comigo com jab we met.A Geet(Kareena) era bem doidinha e eu adorei isso!Adoro personagens doidos.
Que nem o Raj de RNBDJ E a Phoebe de Friends kkkkkkkk

E a Giselli dançando,até eu danço melhor que ela,sério que coreografia fraca,é melhor ela treinar,pq ta ruim....

Pedro disse...

1)acabei de assitir o flilme e adorei embora não esteja entre os meus preferidos..
2)A Giselli dança muito mas ela até pronunciou as poucas falas dela é o 1º vamos ver como vai se sair no 2º

THODA THODA PYAAR<3

Pedro disse...

ah mais uma coisa gostei mais da história do "ontem " adorei do íncio ao fim já atual só me agradou no final vendo como as coisas se encaminharam :D

Ibirá Machado disse...

Luísa, mas sabe que não achei a Giselli tão além do que dança a Kareena, por exemplo, e por isso eu defendo ela! Mas assista! :D

Pedro, sabia que você ia gostar, embora a relutância. E sabia mais ainda que a história do ontem te agradaria mais. Afinal, ela é mais poética :)

Lívia Bernardes disse...

O que eu acho interessante em alguns filmes indianos é um figurino meio anos 80 para os homens, umas cauças, uns cintos, umas camisas que há séculos não usa pro aqui parece que lá nunca sae de moda. Olha o figurino do Saif na primeira foto