segunda-feira, 31 de maio de 2010

Wake Up Sid (2009)

-

Dirigido por Ayan Mukerji, produzido por Karan Johar e estrelando Ranbir Kapoor e Konkona Sen Sharma, Wake Up Sid é um típico filme urbano-moderninho-romântico. E é bem agradável! Tendo ainda em conta que Ayan Mukerji estreou no cinema com esse filme, que ele mesmo escreveu e tendo somente 26 anos, ficamos até com a sensação que ele conta uma história de sua própria geração moderna de Mumbai. E pra dar uma pitada sempre bem vinda de curiosidade, Ayan é primo direto de Kajol e de segundo grau de Rani Mukerji, além de ser cunhado do diretor Ashutosh Gowariker.

E vamos ao filme. Wake Up Sid conta a história de Sid (Ranbir Kapoor), um riquinho filhinho de papai, que vive muito bem às custas do pai empresário Ram Mehra (Anupam Kher). Está no final da faculdade, mas Sid não está nem aí pros estudos. Crente que terminaria a faculdade, o pai de Sid chama o rapaz pra trabalhar em sua empresa. Relutante, Sid aceita com a promessa de ganhar um carro novo.

E ainda nesse momento, Sid conhece Aisha (Konkona Sen Sharma), uma garota moderna e independente que acaba de chegar em Mumbai, vindo de Calcutá, do outro lado do país.

O sonho de Aisha é trabalhar na também moderninha e independente revista Mumbai Beat - e mal chega à cidade e já consegue o emprego. Sid imediatamente apresenta Mumbai à Aisha e a ajuda a escolher um apartamento novo. Sid se encanta por Aisha desde o princípio, mas ela deixa muito claro que ele ainda é muito criança pra ela, embora goste da companhia dele.

E então acontece que Sid é reprovado nos exames finais da faculdade, pra ira de seu pai. Eles brigam e Sid, numa atitude bem infantil, pega a mochila e sai de casa. Não tendo pra onde ir e tendo ainda por cima o cartão de crédito bloqueado pelo pai, é óbvio que ele vai buscar refúgio no apartamento de Aisha. E Aisha, independente que é, dá refúgio, mas nem se preocupa se ele seria capaz ou não de se virar. E o começo é simplesmente um desastre.

Sid não tem capacidade nem de fritar um ovo. Bagunça a casa toda, incapaz de arrumar a própria cama. Aos poucos, porém, ele vai conquistando as mais simples habilidades de se cuidar de uma casa. E cada conquista é realmente uma vitória pra ser mostrada pro prédio todo.

Enquanto isso, ao passo que Aisha percebe que seu encantamento pelo chefe da Mumbai Beat - que ela já tinha desde os tempos de Calcutá - era pura projeção falsa, ela consegue um emprego de fotógrafo pra Sid na mesma revista e passa a, pouco a pouco, perceber o quanto ela é, na verdade, parecida com ele.

E então paramos por aqui. Por mais simplesinha e previsível que seja a história, ela conquista nossa atenção desde o princípio. Há também uma boa dose de empolgação com as sempre cativantes músicas do trio SEL e uma de Amit Trivedi que, aliás, foi premiada no Filmfare Awards pra melhor cantora de playback (pra Kavita Seth, pela agradável Iktara).

Ayan Mukerji também levou merecidamente o Filmfare de melhor diretor estreante e Ranbir Kapoor levou o prêmio de melhor ator pela crítica no mesmo Filmfare Awards. E por fim, justiça seja feita também à Konkona, que está excelente neste papel. Confiram o trailer:

-

15 comentários:

Pedro disse...

Esse filme é uma Graça!:)
Konkona maravilhosa *-*

Vinicius disse...

Maravilhoso hahaha esse filme é muito gostoso de se assistir! como disse o Pedro uma graça! Ranbir e Konkona perfeitos! esse filme é um filme que dificilmente alguém assistir e não gostar!

eu amei mesmo esse filme! ah trilha é muito boa também músicas perfeitas para se ouvir dentro do carro em uma viagem longa!

Vinicius disse...

ah Ibirá parabéns pela postagem! eu adorei! Obrigado! Abraços

Ibirá Machado disse...

Pedro, sim!

Vini, mais um post de filme que você viu! ;) E super obrigado, como sempre :)

barbie-o disse...

Não vi mas faz o meu género. Vou ver!

Lua disse...

Depois de assistir Taar Zammen Par, procurei tudo sobre o filme e me encantei por este blog... queria saber como faço para conseguir estes filmes... quero mergulhar de cabeça no cinema indiano... estou conhecendo uma outra Índia... e isso é fabuloso...

Ibirá Machado disse...

Barbie, veja!

Lua, obrigado por seu comentário! Acabo de enviar um email a você respondendo à sua pergunta. Mas pra que fique público aqui, eu sempre recomendo a comunidade "Quero cinema indiano no Brasil", onde temos acesso mais intensamente a esse universo tão encantador :D

Lua disse...

Oi Ibirá...
Obrigada pela atenção.......... tô correndo atrás........ sou outra pessoa depois destas descobertas...... volto pra dizer sobre meu percurso neste novo mundo......... gde bju!!!!!!!!!

Ibirá Machado disse...

Oi Lua, você não precisa voltar depois, você simplesmente nem vai sair! ;) Seja bem vinda! :)
bj

Anônimo disse...

haha... muito convencido você, mas eu adoro o jeito pelo qual tu escreves. Quase morro quando leio "estadunidense", termo não muito usado atualmente.

Ibirá Machado disse...

Hahaha, obrigado, anônimo/a. Mas eu não quis dizer à Lua que ela nem vai sair por minha causa, mas sim pelo mundo do cinema indiano, que conquista e não larga!

Quanto ao "estadunidense", trata-se de uma política própria minha, mesmo, pois ninguém usa. Mas se eu disser "americano" querendo me referir a um povo distinto do meu, estarei cometendo um equívoco já que eu mesmo também sou americano. Logo, "estadunidenses" são aqueles ali do hemisfério norte, os megalomaníacos e tal, brasileiros somos nós aqui do hemisfério sul, não menos megalomaníacos, porém mais felizes, e americanos somos todos nós do lado oeste do Atlântico :)

Carol disse...

Criei forças.

Vocês sabem que sou apaixonada por Wake Up Sid.Tudo começa pelo fato de que eu detestava Ranbir Kapoor por causa de Saawariya, e Wake Up me mostrou que ele pode sim, ser um bom ator.Depois vem o fato de a história ser simples.É só sobre crescimento pessoal, mas tudo é contado de um modo tão franco que qualquer um pode se identificar: não precisa ser rico, sair de casa e nem repetir o último ano da faculdade.O Sid é aquela parte de nós(em seu estado mais exacerbado) que se recusa a crescer, aquela parte até ingênua que não entende que está fazendo tomando as decisões erradas e fica lá batendo na mesma tecla de sempre e não dando ouvidos a ninguém que te contrarie.Eu realmente não estava me importando com a parte romântica da história, até achei que o filme ficaria sendo sobre dois amigos mesmo.

As cenas com Anupam e Ranbir me emocionaram, tão fortes e reais, acima de tudo.Tinha vontade de dar um tapão no Ranbir quando ele falava daquele jeito mal educado(a expressão já diz tudo) com a mãe.Não esqueço de estar vendo o filme no Youtube e de ler um comentário que falava algo como "se meu filho falasse assim comigo, eu já tinha virado a mão na cara dele"(sinto que isso foi mais pensamento meu do que comentário alheio).Aliás, o legal de ver este filme na internet são os comentários que as pessoas ficam fazendo sobre educação.Bem legais!Tinha um até de uma pessoa dizendo que aquele tipo de comportamento não se aceitava e perguntando se era assim na Índia, achei engraçado(isso também não foi imaginação minha?).

Amo a parte em que a Aisha está montando seu apartamento...aquela parede amarela é má-gi-ca.Desde esse filme fiquei com a ideia fixa de morar sozinha.Nada fixa essa ideia, já desanimei.Também gosto dela percebendo que o chefe dela é o clássico cult metido a gatinho."pura projeção falsa" foi ótimo, hahahaha!

Vi pelo Youtube na época em que estava sem PC e morria de saudades dos meus filmes indianos...lá ia saber que daria de cara com algo que me encantasse tanto?

Enfim...acordamos :)

Ibirá Machado disse...

Não é à toa que adoramos comentários-postagens da Carol. Obrigado, Carol!

E eu acho que terei parece amarela também, só fico aqui ponderando se com passarinhos ou sem...

E de fato, as cenas de família são bastante emocionantes. Anupam Kher, como sempre, está absolutamente excelente como pai. Eu li em algum lugar que Ranbir achou esse personagem infinitamente mais difícil do que seu papel em Saawariya e pensou que não fosse capaz de fazê-lo. E acho que esse enfrentamente próprio deve ter ajudado demais pra que ele se saísse bem e fizesse do filme algo efetivamente bom.

Anônimo disse...

Acho esses indianos atores uma graça, queria um assim pra mim bonitinho!!!! rsrsrsr!!!
E tem uns com cara de principe ai, ai.

Carol disse...

Revi e entendi mais a história de amor.Gosto cada vez mais desse filme...me deixa calma, feliz, reflexiva.